Justiça do Rio vai atrás dos Picciani

Justiça do Rio vai atrás dos Picciani
Justiça do Rio vai atrás dos Picciani
Justiça do Rio vai atrás dos Picciani
Para o MPF, “mostra-se necessária e urgente a decretação de ordem judicial para determinar o bloqueio dos ativos em nomes dos representados [Jorge e Felipe Picciani]”.

Deu no Uol:


O Ministério Público Federal, na 2ª Região, pediu ao Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2) o bloqueio de R$ 154,46 milhões do presidente da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), Jorge Picciani (PMDB) e de um dos filhos dele, Felipe Picciani.

Os dois são alvos da Operação Cadeia Velha, desdobramento da Lava Jato. Jorge Picciani foi levado a depor e Felipe foi preso pela Polícia Federal.

 “Mostra-se necessária e urgente a decretação de ordem judicial para determinar o bloqueio dos ativos em nomes dos representados, incluindo pessoas jurídicas vinculadas diretamente envolvidas nos atos de corrupção e as que se relacionam com a lavagem de ativos, conforme já explicitado na medida cautelar de afastamento do sigilo bancário e fiscal e reconhecido ante o deferimento do pedido”, requereu a Procuradoria da República ao desembargador Abel Gomes. O Ministério Público Federal quer que o bloqueio atinja ainda as empresas da família Picciani.

A Cadeia Velha investiga os também deputados estaduais Paulo Melo (PMDB) e Edson Albertassi (PMDB) e outros dez suspeitos por corrupção e outros crimes envolvendo a Assembleia Legislativa. A Procuradoria da República pediu o bloqueio de R$ 108,61 milhões de Paulo Melo, de R$ 7,68 milhões de Edson Albertassi. (…)


Picciani é reconduzido à liderança do PMDB na Câmara

Picciani é reconduzido à liderança do PMDB na Câmara
Picciani é reconduzido à liderança do PMDB na Câmara – Foto: Luis Macedo/ Câmara dos Deputados
O deputado Leonardo Picciani (PMDB-RJ) foi reconduzido mais uma vez ao posto de líder do partido, na Câmara. Foi mais uma derrota para Cunha.

Na quebra de braço com o presidente da Câmara, Leonardo Picciani levou a melhor. Está claro que os deputados do PMDB não estão interagindo com o Cunha. Ele pediu votos para o Bruno Motta, mas a sua sobrevivência está cada vez mais difícil.

Também se vê que Picciani, de olho na presidência da Câmara, caso o Cunha seja afastado, mantém boas relações tanto com governistas quanto com oposicionistas.

No Jornal do Brasil:


Leonardo Picciani é reeleito para a liderança do PMDB na Câmara

O deputado Leonardo Picciani (RJ) foi reeleito por mais um ano para a liderança da bancada do PMDB na Câmara, nesta quarta-feira (17), derrotando por 37 a 30 votos seu adversário, o deputado Hugo Motta (PB). Dois peemedebistas votaram em branco e outros dois não compareceram.

A vitória de Picciani representa a esperança de manutenção da aliança entre peemedebistas e o Palácio do Planalto, apesar da oposição ostensiva do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), à presidente Dilma Rousseff. Cunha fez campanha nas últimas semanas para convencer os peemedebistas da Casa a darem seu voto de confiança em Hugo Motta.

Na tarde desta quarta-feira, porém, prevendo o resultado das urnas, em votação fechada, aliados de Eduardo Cunha faziam ameaças. “Se tiver tracinho (na cédula), se tiver qualquer marca, vamos invalidar (o resultado)”, disse um deputado, acrescentando que “o governo está usando argumentos não republicanos para ganhar”, em referência ao apoio do Planalto a Picciani.

Horas antes da eleição, Eduardo Cunha promoveu um ato com manifestantes vestidos de mosquito Aedes aegypti, para protestar contra a exoneração de apenas um dia do ministro da Saúde, Marcelo Castro, que tem cargo legislativo na Câmara, para dar seu voto a Picciani.

(…)


Em tempo: A reunião do Conselho de Ética foi adiada mais uma vez. Na última terça-feira, o presidente José Carlos Araújo (PSD-BA) pediu a ajuda da OAB para impedir que Cunha manobre para atrasar os trabalhos. Enquanto isso, no STF do Gilmar zzzz…

Picciani retorna e Renan alfineta Temer

Picciani retorna e Renan alfineta Temer
Picciani retorna e Renan alfineta Temer – Foto: Antônio Cruz/ Agência Brasil
Picciani deu a volta por cima em Temer, o capitão do Golpe, e Renan Calheiros aproveitou para alfinetar. De fato o PMDB não tem donos e nem coronéis. Na Agência Brasil:

Mesa da Câmara recua e reconduz Picciani à liderança do PMDB

Depois de recusar as assinaturas, a Secretaria Geral da Mesa da Câmara dos Deputados voltou atrás e confirmou o apoio dos 36 deputados do PMDB à recondução de Leonardo Picciani (RJ) à liderança do partido na Câmara. A relação foi protocolada no fim da manhã de hoje (17), mas os nomes de três parlamentares – Jéssica Sales (AC), Vitor Valim (CE) e Lindomar Garçon (RO) – estavam em questionamento por também terem assinado a lista anterior que pedia a substituição de Picciani.

“Houve um entrave burocrático. A Mesa estava reconhecendo as assinaturas anteriores. Mas os próprios deputados esclareceram que o apoio se tratava à lista presente”, explicou Picciani que, por quase duas horas, ficou na sala da Secretaria até que o apoio fosse reconhecido.

A mudança no comando do partido na Casa ocorreu quando uma ala do PMDB, que declarou ser contrária ao governo, criticou as indicações de Picciani para compor a comissão especial que analisará o pedido de impeachment da presidenta Dilma Rousseff.

O grupo acusou Picciani de descumprir acordo feito com a bancada e compor a relação de acordo com orientações do Palácio do Planalto. Com 35 assinaturas, elegeram o deputado Leonardo Quintão (MG) como novo líder no dia 9 deste mês.

A recondução de Picciani é atribuída à mudança de posição de três parlamentares e o retorno à bancada de alguns filiados que ocupavam cargos executivos no estado do Rio de Janeiro. Entre os deputados fluminenses, estão Marco Antonio Cabral, que estava no comando da Secretaria de Estado de Esporte, Lazer e Juventude do estado, e Pedro Paulo Carvalho, que era Secretário municipal da Casa Civil do Rio de Janeiro.

Com Picciani novamente na liderança, o PMDB na Câmara deve enfrentar dias de impasse até a eleição de novo líder, marcada para fevereiro de 2016. Lúcio Vieira Lima (BA), um dos protagonistas da substituição de Picciani por Quintão, alertou hoje que grande parte dos peemedebistas não se sente representado.

Leia também: As Vantagens do Programa Minha Casa Minha Vida

“Foi uma bancada artificial [que apoiou a volta de Picciani]. Demitiram secretários para formar a maioria. Podemos dizer que ele é um líder paraguaio, porque não foi legitimado pela bancada que realmente atua nesta Casa.”