Nossa Política

Oitenta tiros: Mourão diz que se militares fosse precisos, não sobraria ninguém

Oitenta tiros: Mourão diz que se militares fosse precisos, não sobraria ninguém
Oitenta tiros: Mourão diz que se militares fosse precisos, não sobraria ninguém
“Porque, se fossem disparos controlados e com a devida precisão, não teria sobrado ninguém, o que seria ainda pior a tragédia”, disse o vice-presidente.

O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, comentou nesta sexta-feira, 12, em entrevista à Rádio CBN, a morte do músico Evaldo dos Santos Rosa a tiros pelo Exército no Rio: “sob forte pressão e sob forte emoção, ocorrem erros dessa natureza”.

Ele ainda avaliou que os disparos foram “péssimos”, já que os 80 tiros só atingiram uma pessoa dentro do carro. “Houve uma série de disparos contra o veículo da família, então você vê que foram disparos péssimos, né? Porque, se fossem disparos controlados e com a devida precisão, não teria sobrado ninguém, o que seria ainda pior a tragédia”.

Ele comentou também que um processo militar foi aberto e que, uma vez comprovada a culpa dos militares envolvidos, as providências cabidas devem ser tomadas.

Fonte: Exame

Escreva um comentário

Categorias