Nossa Política

Acusado pela morte de Marielle depositou R$ 100 mil em dinheiro vivo, aponta Coaf

Acusado pela morte de Marielle depositou R$ 100 mil em dinheiro vivo, aponta Coaf
Acusado pela morte de Marielle depositou R$ 100 mil em dinheiro vivo, aponta Coaf
Na tarde desta sexta-feira (15), a Polícia Civil descobriu que o depósito de R$ 100 mil foi feito por ele mesmo no dia 9 de outubro de 2018 numa agência do Itaú.

Segundo relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), foi realizado um depósito de R$ 100 mil, em dinheiro, na conta do policial reformado Ronnie Lessa, denunciado pelo assassinato de Marielle e Anderson.

Na tarde desta sexta-feira (15), a Polícia Civil descobriu que o depósito de R$ 100 mil foi feito por ele mesmo no dia 9 de outubro de 2018 numa agência do Itaú, também na Barra, onde Lessa morava até a última terça-feira (12), quando foi preso na Operação Lume.

O Ministério Público citou esse relatório em um pedido de bloqueio dos bens de Lessa e do ex-PM Élcio Queiroz, também preso.

Além do relatório, o MP cita no pedido a lancha, apreendida em Angra dos Reis em nome de uma pessoa que seria “laranja” de Ronnie Lessa, os automóveis do PM reformado (um deles, um Infinity avaliado em R$ 150 mil), e a casa dele, num “condomínio luxuoso na Barra da Tijuca”.

Tudo isso, segundo o Ministério Público, seria incompatível com a renda de um policial militar reformado.

Com informações do G1.

Escreva um comentário