Nossa Política

Chico Otávio, jornalista difamado por Bolsonaro, é co-autor de reportagem sobre prisão de supostos assassinos de Marielle

Chico Otávio, jornalista difamado por Bolsonaro, é autor de reportagem sobre prisão de supostos assassinos de Marielle
Chico Otávio, jornalista difamado por Bolsonaro, é co-autor de reportagem sobre prisão de supostos assassinos de Marielle
No último domingo (10), Chico Otávio e a sua filha, a também jornalista Constança Rezende (Estadão), foram difamados pelo presidente da República, em um twitter baseado numa falsa declaração.

O jornalista Chico Otávio (O Globo) é um dos autores da reportagem sobre a prisão de dois suspeitos de assassinarem a vereadora do PSOL, Marielle Franco e o seu motorista Anderson Gomes. Ele é especialista em investigar as milícias no Rio de Janeiro. No último domingo (10), Chico Otávio e a sua filha, a também jornalista Constança Rezende (Estadão), foram difamados pelo presidente da República, em um twitter baseado numa falsa declaração.

A reportagem de Chico Otávio, Vera Araújo e Arthur Leal traz a público a investigação da Delegacia de Homicídios (DH) da Capital e o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco/MPRJ) que culminou na prisão de Ronnie Lessa, de 48 anos, e o ex-PM Elcio Vieira de Queiroz, de 46 anos, por envolvimento no assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL) e do motorista Anderson Gomes.

De acordo com a matéria de hoje, no jornal O Globo, a polícia e o Gaeco chegaram às 4h desta terça-feira às casas dos investigados. O policial Ronnie Lessa, que teria feito os disparos contra a vereadora Marielle, mora no condomínio de Vivendas da Barra, na Avenida Lúcio Costa, 3.100, por coincidência, o mesmo do presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL). Não há, porém, nenhuma ligação, a não ser o fato de serem vizinhos. O condomínio fica de frente para o mar, com seguranças na portaria.

Vencedor de 6 prêmios Esso de Jornalismo, professor da PUC-Rio, co-autor do livro “Os Porões da Contravenção” – que mostra a ligação da ditadura militar com o jogo do bicho – e um dos repórteres investigativos mais respeitados do país, Chico Otávio é um dos responsáveis por mostrar a ligação do clã Bolsonaro com as milícias no Rio de Janeiro.

Em reportagem no dia 22 de janeiro, após deflagrada a operação contra a milícia Rio das Pedras, Chico Otávio publicou reportagem em O Globo revelando que “os dois principais alvos da Operação Intocáveis , o ex-capitão do Bope Adriano Magalhães da Nóbrega e o major da PM Ronald Paulo Alves Pereira, foram homenageados, em 2003 e 2004, na Assembleia Legislativa do Rio por indicação do deputado estadual Flávio Bolsonaro”.

Escreva um comentário