Nossa Política

Novo coordenador do Enem é acusado de plágio

Novo coordenador do Enem é acusado de plágio
Novo coordenador do Enem é acusado de plágio
Por meio de Olavo de Carvalho e do filósofo e historiador alemão Erich Hermann Vögelin, Resende diz ter aprendido que “todas as ideologias mortíferas da modernidade remontavam a antigas heresias cristãs”.

De acordo com matéria publicada pela revista Veja, o economista Murilo Resende foi acusado de plágio nas redes sociais nesta terça-feira, quando internautas apontaram semelhanças entre o seu texto “A Escola de Frankfurt: satanismo, feiúra e revolução“, publicado no site Estudos Nacionais em 2018, e o artigo “The New Dark Ages: The Frankfurt School and ‘Political Correcteness“, escrito por Michael Minnicino na revista Fidelio, do Schiller Institute, em 1992.

Murilo foi acusado de fazer uma tradução, mudando nomes citados no texto para o de personalidades brasileiras. Em um trecho, o jazzista Benny Goodman é substituído por Caetano Veloso. Os críticos também acusam o novo coordenador do Enem de se apresentar como autor original, e não tradutor, citando o artigo original como “fonte” no pé do texto.

Ao defender-se, ele classificou o seu artigo como “tradução adaptada” e afirmou que o caso é uma tentativa de difamação. “Circula nas redes sociais uma tentativa baixa de me difamar. Ela consiste em atacar uma tradução adaptada que fiz de um texto original como plágio. Mas o texto no meu blog e em todas as reproduções em outros sites sempre veio acompanhado da citação da fonte original e do link do texto original. Que tipo de plagiador indica a fonte do plágio? Se tivesse publicado como tradução não faria sentido, pois recortei, adaptei e comentei o texto, com a intenção de enfatizar a relação entre os frankfurtianos e a mídia moderna. É só pesquisar a legislação para constatar que tradução parcial/adaptação com citação do original não é plágio”, disse Resende.

Ex-integrante do MBL

Murilo Resende também pertenceu ao Movimento Brasil Livre (MBL), um dos principais grupos que foram às ruas pedir o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff. Segundo Renan Santos, um dos líderes do MBL Resende foi expulso do movimento. O diretor escolhido pelo governo Bolsonaro diz que deixou o grupo por “divergências insanáveis”.

“Um maluco completo. Foi do MBL de Goiás. Expulso, vivia xingando a gente por lutarmos pelo impeachment… Lunático, conspiratório, fora da realidade”, escreveu Renan, no Twitter, comentando uma frase de Resende.

Discípulo de Olavo de Carvalho

Em uma audiência no Ministério Público Federal sobre “Doutrinação Político-Partidária no Sistema de Ensino”, no ano de 2016, Murilo afirmou que os professores brasileiros são “desqualificados e manipuladores”, e que tentam roubar o poder da família.

Encarregado de comandar essa empreitada, Resende é um economista e blogueiro de 36 anos que idolatra o filósofo Olavo de Carvalho e milita nos extremos da direita conservadora, como muitos dos novos integrantes do governo.

Por meio de Olavo de Carvalho e do filósofo e historiador alemão Erich Hermann Vögelin, Resende diz ter aprendido que “todas as ideologias mortíferas da modernidade remontavam a antigas heresias cristãs”.

O coordenador do ENEM afirma ainda o curso online de Filosofia de Olavo de Carvalho foi “ponto central no seu amadurecimento intelectual”. “O maior amigo de todos, o professor Olavo de Carvalho, teve sempre uma presença virtual nesse processo, mas a mais forte de todas”.

Escreva um comentário