Nossa Política

Jornal suíço diz que Bolsonaro é “altamente controverso”

Jornal suíço diz que Bolsonaro é "altamente controverso"
Jornal suíço diz que Bolsonaro é “altamente controverso”
Jair Bolsonaro ainda recomendou a leitura da matéria que o chama de “figura terrível” e suspeito de “sacrificar o Estado de Direito”.

Sem se preocupar em traduzir o texto em alemão do jornal suíço Tages-Anzeiger, Jair Bolsonaro compartilhou e recomendou a publicação que, a princípio tratava do seu encontro com o líder suíço Ueli Maurer, em Davos.

Entretanto, o jornal não apenas informa sobre o encontro como também critica o presidente brasileiro. Confira a seguir:


Em vez de Trump, o presidente Maurer agora vai se encontrar com Bolsonaro

A primeira viagem ao exterior do presidente brasileiro altamente controverso será à Suíça.

Haveria uma conversa de quatro olhos” com Donald Trump, disse o presidente Ueli Maurer (SVP) no último domingo. Cinco dias depois, a cúpula Suíça-EUA não logrou: Trump cancelou sua viagem ao Fórum Econômico Mundial (WEF) por causa do fechamento em Washington. Em vez de Trump, Maurer poderia agora encontrar outra figura igualmente controversa na política mundial em Davos: o novo presidente do Brasil, Jair Bolsonaro.

O militar da reserva e político da ultra-direita altamente controverso assumiu a liderança do quinto maior país do mundo em 1º de janeiro. A primeira viagem de Jair Bolsonaro será para a Suíça. Para se apresentar à elite mundial no FEM, o homem de 63 anos adiou até mesmo uma intervenção médica. E como é agora conhecido, Bolsonaro também poderia encontrar Maurer em Davos. “Estamos trabalhando em várias opções para uma reunião suíço-brasileira”, confirmou o embaixador do Brasil em Berna, Evandro Didonet. Não se sabe se será uma discussão no nível presidencial ou em nível ministerial. “Isso depende das agendas dos dois presidentes”, disse Didonet.

A assessoria de imprensa de Maurer não comenta isso. Apenas afirma que o programa WEF da Maurer será informado “no devido tempo”. Extraoficialmente, no entanto, a Administração Federal confirma que o Conselho Federal também está interessado em uma reunião bilateral com o Brasil. Esse interesse não é coincidência: a Suíça está atualmente conduzindo negociações de livre comércio com os estados sul-americanos do Mercosul, que incluem o Brasil. A economia suíça está em alta, pois está em concorrência com a UE, que também está buscando um acordo com o Mercosul.

Não menos importante, por essa razão, acolhe os parlamentares suíços de todos os campos quando Maurer encontra o polêmico Bolsonaro. Bolsonaro é de fato “uma figura terrível”, diz o SP Nacional Carlo Sommaruga. Para a Suíça, no entanto, trata-se de obter informações em primeira mão sobre suas intenções políticas – por exemplo, se ele quer continuar com a política de livre comércio. Ao mesmo tempo Maurer deve lembrar a Bolsonaro para preservar a democracia, os direitos humanos e minorias, exige Sommaruga.

«Glória pela Suíça»

As declarações de Bolsonaro tem chamado a atenção do mundo inteiro e despertado temor de que, sob o pretexto da luta contra o crime no Estado de direito, ele destrua os direitos das minorias, bem como acelerar a exploração da selva.

A Conselheira Nacional do CVP, Elisabeth Schneider-Schneiter, também espera que Maurer deposite em Bolsonaro “os valores suíços da democracia, dos direitos humanos e do estado de direito”. “A Suíça está conversando com todos”. O Conselho Nacional da SVP, Claudio Zanetti, considera “uma grande honra para a Suíça que o presidente de um país tão grande como o Brasil visite a sua nação”. Acima de tudo, Maurer e Bolsonaro terão que falar sobre um tópico, observa Zanetti: o livre comércio.

Maurer realmente queria falar sobre o livre comércio com Trump. Ele havia expressado sua esperança para a TeleZüri de que ele e Trump poderiam “colocar um acordo de livre comércio entre a Suíça e os EUA”. Agora resta a questão se, segundo o WEF, pelo menos as negociações de livre comércio com o Mercosul e o Brasil ainda estejam nos trilhos.


1 comentário

  • É impossível o sr Bolsonaro entender o conceito global de Democracia,uma vez que ele, dada sua ideologia ultraconservadora,confunde sistema econômico com sistema de governo,Para ele Democracia só existe nas economias de mercado.Na República Popular da China não existe Democracia por que a economia não é de mercado.Nos brasileiros passamos mais de 20 anos numa terrível ditadura sustentada por uma economia de mercado