Nossa Política

Gleisi acertou ao ir à posse de Maduro

Gleisi acertou ao ir à posse de Maduro
Gleisi acertou ao ir à posse de Maduro
Os socialistas devem estar juntos para resistir a esta onda conservadora e retrógrada que se espalha pelo mundo todo.

De Afrânio Silva Jardim, em seu Facebook:


VENEZUELA RESISTE E DÁ MAIS UM GRANDE PASSO EM DIREÇÃO AO ALMEJADO SOCIALISMO DEMOCRÁTICO.

APÓS GRANDE VOTAÇÃO NAS RECENTES ELEIÇÕES PRESIDENCIAIS, NICOLÁS MADURO TOMARÁ POSSE, NOVAMENTE, COMO PRESIDENTE DA VENEZUELA.

Muitos países não querem reconhecer esta eleição, na verdade, por questões ideológicas. Eles e seus empresários estão boicotando, com a ajuda da grande mídia comercial, a tentativa de se introduzir o socialismo democrático no país irmão.

Ninguém aponta e traz prova de qualquer irregularidade em tais eleições, apenas falam que elas não foram legítimas e justas … Como assim ???

A situação do Brasil ainda é mais delicada, pois o Ministério das Relações Exteriores questionou a legitimidade das eleições do Maduro pelo fato de o seu maior opositor estar preso e não ter podido concorrer no pleito.

Isto é de uma hipocrisia alarmante. A prevalecer este argumento, a eleição do Capitão truculento, aqui no Brasil, também é ilegítima e injusta. Pois o líder disparado nas pesquisas de opinião pública – ex-presidente Lula – também foi mantido preso e não pôde concorrer nas eleições, mesmo com manifestação em sentido contrário da ONU. Dois pesos, duas medidas.

Como socialista, também gostaria de estar na Venezuela no dia de amanhã. Depois de Allende, no Chile, esta é mais uma tentativa de instaurar uma economia socialista através dos meios democráticos, com eleições e sem violência política, salvo aquela usada para evitar golpes de Estado, tentados pelas forças de Direita, auxiliadas pelos Estados Unidos.

Julgo, pois, correta a presença da senadora Gleisi Hoffman.

Os socialistas devem estar juntos para resistir a esta onda conservadora e retrógrada que se espalha pelo mundo todo. Como a história avança através das forças sociais que se opõem, em breve, voltaremos a ter esperanças mais concretas de que a justiça social ainda será possível neste mundo desigual e egoísta.

Afrânio Silva Jardim é professor de Direito da Uerj


2 comentários

  • Ora, professor e também, não seria por questões ideológicas, que o partido da esquerda (PT), queria permanecer no poder? (ideologia de gênero, de posse, de minoria).
    E por acaso não são os empresários e a mídia comercial os grandes responsáveis pela economia do país? (emprego, renda, estabilidade financeira, sustento e mínimo existencial). De qual irregularidade em eleições, que o professor se refere, tendo em vista que Michel Temer quando assumiu o lugar de Dilma, o fez dentro dos termos constitucionais, foi eleito por quem votou em Dilma, como vice na chapa presidencial e, ainda, assim, foi considerado pelos petistas como presidente ilegítimo, houve irregularidade nesta eleição, também?
    Será professor, que como o Sr. diz a razão de lula não ter podido concorrer a eleição é justamente no fato de ele estar preso? (ninguém apoia a candidatura de preso a presidência de um pais, não tem lógica)
    Quanto a eleição do “Capitão truculento”, aqui no Brasil, também é ilegítima e injusta. Sinceramente, é decepcionante para esta leitora ler este absurdo, já que como professor, o Sr. deve saber que ele foi eleito legitimamente, por maioria de votos, respeitando-se o sufrágio universal, a Constituição Federal e o processo democrático, quanto a ser injusto ou não é a sua opinião!
    Em relação a ONU, outra decepção para esta leitora, já que o Sr. deve saber a competência desta é administrativa e não legislativa e que deve ser na sua essência a imparcialidade e neutralidade nas discussões e negociações em relação aos conflitos em nível planetário e regionalizado até o Google pode lhe informar isso!
    Também, no Google pode ser encontrado um relatório da mesma ONU sobre a ditadura da Venezuela, onde expressam neste relatório que o regime democrático da Venezuela está ” à beira da morte”. ( a leitura é boa, professor, pratique)
    Como socialista, o Sr. poderia lecionar na Venezuela, sinta-se a vontade, afinal seu oficio é de fato fundamental, tenho certeza que sua realização profissional se consagraria, naquele pais, já que por lá (no seu conceito) a economia socialista é através dos meios democráticos, com eleições e sem violência política,
    Aqui, como a parte, não foi diferente, salvo algumas exceções, tivemos eleições em processo democrático, porém, o presidente eleito sofreu violência física, razão pela qual o Sr. deveria se sentir decepcionado (com a violência)!
    Já sobre o seu julgamento sobre a presença da senadora Gleisi Hoffman, a posse de maduro, também, a de ser considerada subjetiva, todavia de correta não tem nada, haja vista que com este ato a senadora incorre em crime: Parágrafo 1º, Artigo 8 da Lei nº 7.170/ 1983- Lei de Segurança Nacional. Por fim quanto, ao que o Sr. denomina de justiça social, com o socialismo, deixo aqui algumas perguntar:
    1. Fome e desabastecimento é justiça social?
    2. Emigração em massa é justiça social?
    3. Militares presos e torturados, é justiça social?
    4. Política intervencionista e golpista, formada por ideologias que buscam alienar grupos de minorias, para transforma-la em massa de manobra, é justiça social?
    5. Virar as costas para o povo venezuelano que aqui emigram, bem como para os que ainda permanecem sofrendo por lá ao apoiar e comparecer a posse do presidente que provoca este sofrimento ao seu próprio povo é justiça social?
    Pois bem, Sr. Professor Afrânio Silva Jardim, por todo o exposto e com todo o respeito me cabe, prezo pela sensatez, por isso sou contrária à vossa opinião.
    Apenas uma leitora.