Nossa Política

Bolsonaro: Nossa bandeira só será vermelha se for preciso sangue para mantê-la verde e amarela

Bolsonaro: Nossa bandeira só será vermelha se for preciso sangue para mantê-la verde e amarela
Bolsonaro: Nossa bandeira só será vermelha se for preciso sangue para mantê-la verde e amarela
Ao mesmo tempo que afirmou que terá preocupação com o cidadão de bem e tirará o “viés ideológico” da política externa brasileira.

De Lisandra Paraguassu, na Reuters:


O presidente Jair Bolsonaro disse em discurso após receber a faixa presidencial nesta terça-feira que, com sua posse, o povo brasileiro começa a se “libertar do socialismo” e do “politicamente correto” e que a bandeira do Brasil só será vermelha se for preciso sangue para mantê-la verde e amarela.

“Nossa bandeira jamais será vermelha!”, disse Bolsonaro segurando uma bandeira brasileira, enquanto a multidão gritava “mito”. “Só será vermelha se for preciso o nosso sangue para mantê-la verde e amarela”, acrescentou, sendo ovacionado pelos milhares de pessoas que acompanharam o discurso feito no parlatório do Palácio do Planalto.

A bandeira foi entregue ao presidente pelo ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, pouco antes de Bolsonaro voltar ao parlatório, depois de se despedir de Michel Temer. Com gestos, Onyx sugere que Bolsonaro abane ao público com a bandeira.

Em discurso bem mais inflamado do que o feito na cerimônia de posse no Congresso Nacional, Bolsonaro disse ainda que tem o desafio de enfrentar a crise econômica e o desemprego recorde, ao mesmo tempo que afirmou que terá preocupação com o cidadão de bem e tirará o “viés ideológico” da política externa brasileira.

Durante o discurso, as cerca de 115 mil pessoas que estavam na Esplanada dos Ministérios, de acordo com estimativas do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência da República, gritaram também “o capitão chegou” e ovacionaram o novo presidente.

“Me coloco diante de toda a nação, neste dia, como o dia em que o povo começou a se libertar do socialismo, da inversão de valores, do gigantismo estatal e do politicamente correto”, disse Bolsonaro ao iniciar seu discurso.

“Não podemos deixar que ideologias nefastas venham a dividir os brasileiros. Ideologias que destroem nossos valores e tradições, destroem nossas famílias, alicerce da nossa sociedade”, afirmou.

(…)


Escreva um comentário