Nossa Política

Discurso de Rosa Weber sobre Direitos humanos desagrada a aliados de Bolsonaro

Discurso de Rosa Weber sobre Direitos humanos desagrada a aliados de Bolsonaro
Discurso de Rosa Weber sobre Direitos humanos desagrada a aliados de Bolsonaro
Minutos após o discurso da ministra, que encerrou o evento, a deputada federal eleita Joice Hasselmann (PSL-SP) já havia usado o Twitter para criticar a fala da magistrada.

Do UOL:


defesa dos direitos humanos e a duração de mais de 15 minutos do discurso da presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), ministra Rosa Weber, durante a cerimônia de diplomação de Jair Bolsonaro (PSL) provocaram descontentamento entre aliados do presidente eleito na tarde desta segunda-feira (10).

Segunda e última a falar na solenidade, logo após o pronunciamento de quase 10 minutos de Bolsonaro, ela destacou o aniversário de 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos, celebrado hoje, e afirmou que em uma democracia a vontade da maioria não pode “abafar” os grupos minoritários nem retirar-lhes direitos.

A reação destoou da acolhida à entrada de Bolsonaro e do vice, o general Hamilton Mourão (PRTB), no plenário do tribunal. Ovacionado efusivamente, o presidente eleito chegou a ouvir gritos de “mito”, que quebraram o clima solene da cerimônia.

Minutos após o discurso da ministra, que encerrou o evento, a deputada federal eleita Joice Hasselmann (PSL-SP) já havia usado o Twitter para criticar a fala da magistrada. “Nosso presidente, agora diplomado, fez um discurso simples, de união, é de agradecimentos. Já a ministra Rosa Weber nos submeteu a uma longa aula de direitos humanos fora de tom e de propósito. Desnecessário. Mas nada tirou o brilho do momento”, escreveu.

Em entrevista coletiva na saída do TSE, ela disse ter achado o pronunciamento “totalmente desapropriado”. “Um discurso longo, enfadonho. O presidente da República fez um discurso do jeito dele, com a linguagem do povo, agradecendo a todos, agradecendo a Deus, e a Rosa Weber fez uma aulinha de direitos humanos ali, né?”, comentou.

“Achei que ficou um pouco chato, e até deselegante, desnecessário. Mas ela é a presidente do TSE, não sou eu”, disse, acrescentando que não sabe se foi “um recado” para Bolsonaro. Em seguida, explicou que não acha deselegante defender os direitos humanos, mas sim fazer um discurso “enorme”, “falando mais do mesmo”. “Todo mundo sabe o que nós precisamos, todo mundo sabe o que são os direitos humanos, nós já sabemos essa lição de cor e salteado. É só isso.”

Também pela rede social, a deputada federal eleita Bia Kicis (PRP-DF), aliada de Bolsonaro, ironizou o teor e a duração da fala da ministra. “Rosa Weber espanta audiência virtual com seu discurso looooongo de aulinha de direitos humanos”, declarou.

Ao UOL, ela disse ter achado o discurso “inapropriado”. “Achei deselegante, achei desnecessário. E outra: espantou os seguidores das redes. Eu estava com mais de 1.000 pessoas [em uma transmissão ao vivo] quando ele terminou de falar. Depois de um tempo ela falando, eu estava com 50 pessoas na minha rede”, comentou.

(…)


2 comentários