Nossa Política

Queiroz disse no Twitter que tortura era ‘corretivo’

Queiroz disse no Twitter que tortura era 'corretivo'
Queiroz disse no Twitter que tortura era ‘corretivo’
Numa publicação resgatada de sua conta do Twitter, o ex-assessor de Flávio Bolsonaro afirmou que tortura na ditadura era ‘corretivo’.

Da Coluna de Lauro Jardim, no Globo:


Fabrício Queiroz tem uma conta, sem atualização, no Twitter, em que costumava interagir com o então chefe, Flávio Bolsonaro. Em 2013, sobre uma confusão em que Jair Bolsonaro se envolveu durante uma visita da Comissão estadual da Verdade a um quartel no Rio de Janeiro, Queiroz respondeu a um tuíte de Flávio e afirmou que a tortura era um “corretivo”.

Na ocasião, Jair Bolsonaro tentou acompanhar, sem autorização, uma visita da comissão ao quartel onde funcionou o DOI-Codi no Rio de Janeiro, local de tortura durante a ditadura militar.

O senador Randolfe Rodrigues, que acompanhava a comitiva, tentou impedir a entrada de Jair no local e foi agredido por ele com um soco na barriga.

Sobre o assunto, Flávio postou:

— O que leva um senador a achar que pode impedir a entrada de deputado em quartel do Exército? A soberba ou o autoritarismo?

Queiroz respondeu:

— Na verdade eles voltaram para visitar ao qualquer porquê (sic) gostaram do que aconteceu em 65 (sic), estão com saudades do corretivo.


Escreva um comentário