Notícias

Moro evita falar sobre relatório do Coaf que cita ex-assessores da família Bolsonaro

Moro evita falar sobre relatório do Coaf que cita ex-assessores da família Bolsonaro

Moro evita falar sobre relatório do Coaf que cita ex-assessores da família Bolsonaro

Moro mas deixou o CCBB (Centro Cultural Banco do Brasil), sede da transição de governo, sem responder à pergunta sobre o documento do Coaf.

Do Estadão:


O futuro ministro da Justiça e Segurança Pública, o ex-juiz Sérgio Moro, não respondeu a questionamento feito pela imprensa, nesta sexta-feira, 7, sobre o relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) que revelou movimentação atípica no valor de R$ 1,2 milhão na conta de um assessor do deputado estadual e senador eleito Flávio Bolsonaro(PSL-RJ). Em anúncio na sede da transição de governo, Moro indicou os futuros chefes da Polícia Rodoviária Federal, o policial rodoviário federal Adriano Marcos Furtado, e da Secretaria Nacional do Consumidor, o advogado Luciano Benetti Timm, mas deixou o local sem responder à pergunta sobre o documento do Coaf.

Foi o primeiro contato com a imprensa após o Estadorevelar, na quinta-feira, 6, o relatório sobre transações de Fabrício José Carlos de Queiroz. Policial militar, Queiroz era registrado como assessor parlamentar, mas também atuava como motorista e segurança de Flávio Bolsonaro. Foi exonerado do gabinete do senador eleito no dia 15 de outubro deste ano.

Uma das transações na conta de Queiroz citadas no relatório do Coaf é um cheque de R$ 24 mil destinado à futura primeira-dama Michele Bolsonaro. A compensação do cheque em favor da mulher do presidente eleito Jair Bolsonaro aparece na lista sobre valores pagos pelo PM.

“Dentre eles constam como favorecidos a ex-secretária parlamentar e atual esposa de pessoa com foro por prerrogativa de função – Michelle de Paula Firmo Reinaldo Bolsonaro, no valor de R$ 24 mil”, diz o documento do Coaf, órgão de inteligência financeira que tem como principal missão o combate da lavagem de dinheiro.

(…)


1 Comentário

  • Sergio Moro reza pela cartilha da politicagem. Ele só persegue o Lula. Quero só ver quando aparecerem os podres de Bostonaro e familia. O Moro é um juiz que atua de forma PARCIAL Ele deveria ser investigado.
    O Moro lembra o Collor que na época era conhecido como o Caçador de Marajás. O Moro como Caçador dos Corruptos. Ambos esqueceram de se caçarem.

Deixe um Comentário!