Nossa Política

Le Parisien: Bolsonaro vai armar o “cidadão de bem” para fazer justiça a si mesmo

Le Parisien: Bolsonaro vai armar o "cidadão de bem" para fazer justiça a si mesmo
Le Parisien: Bolsonaro vai armar o “cidadão de bem” para fazer justiça a si mesmo
Atualmente, a posse de armas é reservada, sob condições estritas, apenas em casa. É proibido usar armas fora de um quadro profissional (forças policiais, militares, agentes de segurança).

O título do jornal Le Parisien aborda literalmente a decisão de Jair Bolsonaro de autorizar o porte de armas através de decreto presidencial:  Brasil: Bolsonaro vai armar o “cidadão de bem” para fazer justiça a si mesmo.

Seu mandato nem sequer começou oficialmente e Jair Bolsonaro, eleito em outubro passado como presidente do Brasil, já está embarcando em sua série de medidas de choque para o país sul-americano. O líder da extrema-direita, que será investido por um período de quatro anos a partir de 1º de janeiro, anunciou neste sábado sua intenção de “garantir” o porte de armas de fogo para todos os cidadãos sem antecedentes criminais.

Atualmente, a posse de armas é reservada, sob condições estritas, apenas em casa. É proibido usar armas fora de um quadro profissional (forças policiais, militares, agentes de segurança). Mas o novo presidente fez um dos projetos emblemáticos de seu programa durante sua campanha: os “cidadãos de bem” devem ser capazes de fazer justiça sozinhas e, portanto, ser capazes de carregar uma arma com menos restrições.

Enquanto sua declaração pode parecer surpreendente da Europa, os brasileiros sabiam tudo sobre as intenções do candidato. Ultra-liberal, não muito ambientalmente consciente e focado no retorno da lei e da ordem no país, ele seduziu alguns eleitores ao concentrar seu programa em segurança e combate à corrupção no contexto do encarceramento do ex-presidente Lula, impedido de concorrer nesta eleição após vários escândalos.

 

Escreva um comentário