Nossa Política

Assessoras de Flávio Bolsonaro não comparecem à Alerj

Assessoras de Flávio Bolsonaro não comparecem à Alerj
Assessoras de Flávio Bolsonaro não comparecem à Alerj
Lídia Cristina dos Santos Cunha e Valdenice de Oliveira Meliga foram nomeadas para trabalharem como assessoras parlamentares do deputado estadual Flávio Bolsonaro, mas não vão à Alerj.

Da coluna de Cassio Bruno, no jornal O Dia:


Em maio deste ano, Lídia Cristina dos Santos Cunha e Valdenice de Oliveira Meliga foram nomeadas na Alerj para trabalharem como assessoras parlamentares V do deputado estadual Flávio Bolsonaro na liderança do PSL. Cada uma recebe um salário líquido de R$ 5.124,62, segundo a folha de pagamento de outubro.

No entanto, Lídia e Valdenice nunca aparecem por lá, como informaram à coluna servidores do gabinete de Flávio. As duas batem ponto na sede do diretório regional do PSL, no Recreio dos Bandeirantes. Lídia é secretária-geral do partido. Valdenice, tesoureira. Ou seja: prestam serviços para a legenda e recebem salários pela Alerj.

Extorsão

Valdenice, mais conhecida como Val, é irmã dos gêmeos Alan e Alex Rodrigues de Oliveira, policiais militares presos em agosto na Operação Quarto Elemento, que investiga quadrilha de PMs especializada em extorsões.

Já Lídia Cunha foi uma indicação de Valdenice e de Miguel Ângelo Braga Grillo, chefe de gabinete de Flávio e vice-presidente regional do PSL.

Confirmação

Funcionários do diretório do PSL, que fica no Condomínio do Edifício One Offices, na Avenida das Américas 18.000, confirmaram à coluna que Lídia e Valdenice cumprem expediente no local.

Lembrando

Como a coluna revelou nesta quinta-feira, o ex-motorista de Flávio, Fabrício José Carlos de Queiroz, está isolado num apartamento na Barra da Tijuca preparando a defesa com um contador e um advogado.

(…)


Escreva um comentário