Política

PF obriga cinegrafista da TV Globo a apagar imagens de Bolsonaro

PF obriga cinegrafista da TV Globo a apagar imagens de Bolsonaro

PF obriga cinegrafista da TV Globo a apagar imagens de Bolsonaro

Depois, foi obrigado a voltar imediatamente para o local onde embarcou. O policial federal coletou dados e tirou foto do cinegrafista.

De acordo com reportagem do Valor Econômico, um agente da Polícia Federal forçou um cinegrafista da TV Globo a apagar imagens capturadas do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) nesta sexta-feira (2). O profissional da imprensa acompanhava a visita de Bolsonaro ao Centro de Adestramento da Ilha da Marambaia (Cadim), área da União administrada pela Marinha, no Rio de Janeiro, e embarcou junto com o presidente eleito e aliados no cais do Clube Náutico de Itacuruçá.

Bolsonaro foi à Restinga de Marambaia e passou a tarde com sua esposa Michelle e amigos. O cinegrafista estava a trabalho, com seu equipamento, gravando imagens do presidente eleito. Na Restinga de Marambaia, foi abordado pela PF e forçado a apagar as imagens. Depois, foi obrigado a voltar imediatamente para o local onde embarcou. O policial federal coletou dados e tirou foto do cinegrafista.

Procurada, a PF informou que não havia como falar com a reportagem porque hoje não tem expediente.

No Iate Clube, onde Bolsonaro embarcou, a imprensa foi expulsa pelo diretor social da instituição, que se identificou apenas como Valdir. O diretor disse ser militar e ameaçou prender repórteres que esperavam Bolsonaro no pier do clube.

A reportagem do Valor procurou a Marinha para obter mais informações sobre quem pode ter acesso à Restinga de Marambaia e quantas pessoas estavam na comitiva de Bolsonaro, mas não obteve essa resposta. Também não foi informado o custo dessa visita, com o deslocamento e  refeições, além do efetivo de segurança.

Na nota divulgada pela Marinha, a instituição afirma apenas que o Centro de Adestramento da Ilha da Marambaia (CADIM), localizado na Costa Verde do Rio de Janeiro, recebeu a visita de Bolsonaro. “O político visitou a Organização Militar da Marinha que, tradicionalmente, oferece privacidade e segurança para autoridades nacionais e estrangeiras”, afirmou.

“Cabe destacar que o local é o único em todo o Estado do Rio de Janeiro onde navios, aeronaves e veículos militares podem fazer uso de armamento real para adestramento. Em função da proximidade com várias outras OM, o deslocamento das unidades a serem adestradas é feito de forma rápida, economizando tempo e recursos”, diz a nota.

Deixe um Comentário!