Mundo

Justiça chilena condena ex-chefe do Exército por violações aos Diretos Humanos

Justiça chilena condena ex-chefe do Exército por violações aos Diretos Humanos

Justiça chilena condena ex-chefe do Exército por violações aos Diretos Humanos

O general Juan Emilio Cheyre Espinosa tornou-se ontem o primeiro homem de alta patente a ser condenado por violações dos direitos humanos.

A Justiça chilena condenou o ex-comandante do Exército, Juan Emilio Cheyre, a três anos de liberdade condicional por encobrir 15 homicídios em 1973, encerrando um dos episódios do sinistro caso “Caravana de la Muerte” durante a ditadura de Augusto Pinochet, entre 1973 e 1990.

O juiz Mario Carroza condenou Cheyre, comandante do Exército do Chile entre 2002 e 2006, a “três anos e um dia de prisão, com o benefício da liberdade condicional”, por acobertar 15 assassinatos ocorridos em outubro de 1973, na cidade de La Serena, 472 quilômetros ao norte da capital do país, um mês após o golpe militar que estabeleceu a ditadura de Pinochet.

Cheyre foi julgado como cúmplice, mas o juiz Carroza reduziu a condição de “acobertar” porque “não há certeza de que ele tenha participado de atos anteriores ou simultâneos à execução das vítimas”, de acordo com a decisão.

Deixe um Comentário!