Brasil

A união dos governadores do Nordeste

A união dos governadores do Nordeste

A união dos governadores do Nordeste

Em carta apresentada ao presidente eleito Jair Bolsonaro, os governadores do Nordeste pediram, entre outras coisas, a manutenção do Programa ‘Mais Médicos’.

Na última quarta-feira (21), os governadores do nordeste se reuniram com o presidente eleito Jair Bolsonaro. De forma unificada, reafirmaram pautas necessárias ao desenvolvimento da região.

A ideia, segundo o governador reeleito do Piauí, Wellington Dias (PT), é debater detalhadamente a pauta e fechar uma agenda única que será levada ao encontro de governadores, no dia 12 de dezembro.

Antes, porém, os governadores enviaram uma carta ao presidente eleito com pautas únicas para a região. Eles pregam a unidade, mas reafirmam a preocupação com o fim do Programa ‘Mais Médicos’.

Confira a carta:

CARTA DOS GOVERNADORES DO NORDESTE

Exmo. Presidente Eleito Jair Bolsonaro,

Os Governadores eleitos do Nordeste vêm solicitar uma audiência com V. Exa. para tratar prioritariamente acerca dos seguintes itens:

  1. Retomada urgente de obras federais no Nordeste, visando ao crescimento econômico e à geração de empregos, com especial destaque para obras rodoviárias, de segurança hídrica e habitacional.
  2. Celebração de um Pacto Nacional pela Segurança Pública em que o Governo Federal assuma a coordenação e a execução de ações concretas no combate a criminalidade interestadual, a exemplo de assaltos a bancos, tráfico de drogas armas e explosivos atuação de facções criminosas, etc.
  3. A viabilização de fontes financeiras para reequilíbrio do pacto federativo, uma vez que Estados e Municípios sofreram drasticamente com a recessão econômica que deteriorou FPE e FPM. Nesse sentido, importante pautar a Reforma Tributária que corrija distorções. como a tributação de bancos e de rendas do capital.
  4. Desbloqueio das operações de créditos dos Estados para viabilização de investimentos e pagamentos de precatórios Judiciais.
  5. Debate acerca da prorrogação e ampliação da participação financeira da União no FUNDEB (Novo FUNDEB).
  6. Preocupação com o vazio assistencial que pode se produzir nos Municípios, com a diminuição do contingente de profissional do Programa Mais Médicos sendo fundamental a imediata recomposição e ampliação do citado programa.

Deixe um Comentário!