Repercussão

A verdadeira face dos grupos de WhatsApp pró-Bolsonaro

A verdadeira face dos grupos de WhatsApp pró-Bolsonaro

A verdadeira face dos grupos de WhatsApp pró-Bolsonaro

Jornalista conta a experiência amarga de ter entrado em dois grupos de WhatsApp pró-Bolsonaro onde reina o ódio, a estupidez e a desinformação.

O jornalista Alefy Soares revela na Revista Subjetiva, que entrou em dois grupos de WhatsApp favoráveis ao presidenciável do PSL, Jair Bolsonaro. Ele conta que se arrepende amargamente de tê-lo feito:


A verdadeira face dos grupos de WhatsApp a favor de Jair Bolsonaro

Que o Brasil está passando um dos momentos mais tenebrosos, após a Ditadura Militar, isso não é novidade para ninguém. Mas será que a solução para o momento caótico da Nação seria colocar um homem como Jair Messias Bolsonaro, que diz que “mulheres deveriam ganhar menos do que homens porque engravidam”? Que se sente orgulhoso de dizer que “fraquejou” uma vez em sua vida, quando teve uma filha, e não mais um homem para compor sua família privilegiada.

Tentando pensar diferente do que dizem das pessoas, geralmente homens, que votam em um homem como Bolsonaro, resolvi entrar em dois grupos a favor do candidato à presidência da república — e adianto que me arrependo amargamente.

Comecei pesquisando por páginas a favor de Bolsonaro e, no campo dos comentários, um dos apoiadores estava divulgando um número de WhatsApp de um novo grupo a favor do candidato. Resolvi entrar.

A primeira imagem que recebi em meu celular foi uma fake news (“notícia falsa”, em tradução livre) do qual Lula, atualmente preso em Curitiba/PR, aparece com uma camiseta preta, com uma pequena suástica, símbolo popularizado pelos Nazistas na Segunda Guerra Mundial. Pensei que todos iriam rir da montagem, no mínimo, pitoresca. Para a minha surpresa, três membros abaixo responderam: “Isso a Globo não mostra”, “Agora quem é o facista? Espalhem!!!” e “Lixo humano”. Preferi continuar quieto, acompanhando a movimentação.

O resto do dia no grupo, não houve qualquer tipo de montagem ou “fake news”, apenas a ideia de que Bolsonaro é o único homem capaz de salvar a humanidade — você leu corretamente, pois grande parte dos eleitores acredita que ele vai salvar não apenas o Brasil, mas o mundo… Vai entender.

No dia seguinte, acordei ansioso para olhar novamente para o celular, mas esse momento se foi ao ver a foto de uma feminista com os seios à mostra, durante um protesto na Avenida Paulista (São Paulo/SP), sendo comparada com uma modelo que apoia a direita brasileira. A reação dos membros do grupo não poderia ser outra, dado o nível intelectual de cada um. Mais de 16 mensagens de ódio, em grande parte afirmando que as mulheres de esquerda “fedem” e são “nojentas”. Outro apontou que elas não tomam banho, enquanto as de direita são, nas palavras do usuário preconceituoso e machista, “top”.

Não foi fácil continuar o dia em um grupo de apoio ao candidato. Seus eleitores me pareceram ser pessoas que simplesmente existem para espalhar ódio. Em nenhum momento, dos 4 dias que permaneci ali, ouvi alguém falar algo que seja para o bem do Brasil como um todo.

Quando achei que as coisas não poderiam piorar, eu resolvi mandar uma mensagem no grupo, dizendo que eu era jornalista e gostaria de ouvir o argumento de alguns para votar no Bolsonaro… O que eu pensei que era apenas uma atitude ética da minha parte, se tornou um malfeitor “espião” na visão deles.

As respostas ao meu pedido foram, no mínimo, assustadoras…

O diálogo

“Fdp (filho da puta), isso aqui é um grupo pra quem quer o melhor para o Brasil, não é lugar pra esquerdista”, respondeu o mesmo rapaz que havia mandado a montagem do ex-presidente Lula.

Permaneci sem responder.

“Se a gente fala o motivo certo, o jornalista petista vai fazer “fake news””, escreveu outro.

Permaneci sem responder, apenas visualizando até onde iríamos chegar.

“Vagabundo”, mandou um terceiro. Confesso que dei uma boa risada neste momento, justamente pelo ataque gratuito.

Antes que eu pudesse responder, o administrador me tirou do grupo e bloqueou o meu contato. Não esperava mais de uma pessoa que vota em candidatos que apoiam a Ditadura Militar, não é mesmo?

A minha surpresa veio no dia seguinte. Em meu Facebook Messenger, recebi a seguinte mensagem de um apoiador do Bolsonaro, que foi devidamente denunciado:

“Vagabundo, comunista não tem vez com o mito!”

Pois é.

Fake News profissional

Em dado divulgado na última quinta-feira (04), foi constatado que os eleitores de Jair Bolsonaro são os eleitores que mais compartilham notícias falsas nesta eleição.

Caso tenha dúvida sobre a afirmação de alguém sobre o seu candidato, verifique a investigação da Agência Lupa, especialistas em fact-checking no Brasil.

As eleições

Bolsonaro representa uma ameaça não apenas à democracia do país, mas também a cada brasileiro que deseja ter um futuro melhor. O candidato, que apoia torturadores como Carlos Alberto Brilhante Ustra. Caso não conheça esse monstro, saiba que, entre diversas outras atrocidades, Ustra foi responsável por levar os filhos de Amélia Teles, presa nos porões do regime, para que vissem a mãe torturada.

Em trecho publicado por Eliane Brum, ela descreve um pouco do que aconteceu:

“… Amelinha, como é mais conhecida, estava nua, vomitada e urinada. Seus filhos tinham quatro e cinco anos. A menina perguntou: “Mãe, por que você está azul?” A mãe estava azul por causa dos choques elétricos infligidos em várias partes do seu corpo e também nos seios e na vagina. Este é o farol de Bolsonaro e Mourão, em primeiro lugar nas pesquisas para a presidência do Brasil, o que diz bastante também sobre os eleitores.”

Lembre-se: A ditadura foi há 30 anos e nunca estivemos tão próximos de mais 30 anos de censura e mortes.


1 Comentário

  • Vou direto ao assunto, Sr Jair Messias Bolsonaro, o candidato comunista está muito seguro da vitória no 2º turno, isso porque sabemos nòs seus eleitores, que tais urnas estão viciadas e seus programas adulterados por técnicos Venezuelanos e portugueses; vários especialistas de informática (veja You Tube) mostram como é feito o processo de manipulação criminosa desses equipamentos. È um absurdo, é por isso que o PT está no governo a uma década. Não deixe de observar os votos dos eleitores coloque fiscais perto do local de votação e se alguém reclamar, chame a polícia peça o registro do REDS, a apreensão da máquina, e troca da mesma e oriente ao eleitor que seu direito ao voto é CIDADANIA e DEMOCRACIA e que ele quer votar novamente quer seu voto contabilizado. Como pode um candidato com 48,50% dos votos válidos não conseguir apenas 1,50% que faltam mais um voto, quando ainda faltam aproximadamente 60% das urnas a serem apuradas; não lhe parece estranho. Conte comigo minha família e toda Igreja de Deus, também todos cristãos.

Deixe um Comentário!