Política

Ibope: Haddad cresce entre pobres e no Sudeste

Ibope: Haddad cresce entre pobres e no Sudeste

Ibope: Haddad cresce entre pobres e no Sudeste

Haddad obteve maior representatividade entre os mais pobres e com baixa escolaridade, Bolsonaro teve maior peso entre maior escolaridade, brancos e os mais ricos.

Do GGN:


Os últimos resultados da pesquisa IBOPE, divulgada na noite desta quarta-feira (04), traçam o perfil dos eleitores dos presidenciáveis Fernando Haddad (PT) e Jair Bolsonaro (PSL). Enquanto o candidato do PT obteve maior representatividade entre os mais pobres e com baixa escolaridade, Bolsonaro teve maior peso entre maior escolaridade, brancos e os mais ricos.

Desta vez, o levantamento mostra um equilíbrio dos dois candidatos entre o gênero feminino, mas Haddad obteve um pequeno aumento entre os homens, enquanto Bolsonaro estagnou. Jovens votam mais no candidato da direita e Haddad está equilibrado em todas as idades. A região Nordeste prefere Haddad, enquanto o Sul prefere Bolsonaro.

Acompanhe, abaixo, a análise da pesquisa IBOPE por categorias:

GÊNERO

Entre as mulheres, Haddad e Bolsonaro estão equiparados, com 22% e 26%, respectivamente e ambos tiveram um aumento de dois portos percentuais no sexo feminino, em comparação aos dados de dois dias atrás.

Já entre os homens, apesar de Bolsonaro seguir na liderança (39%), foi o candidato do PT que apresentou um aumento de três pontos percentuais, atingindo 24%, em apenas dois dias.

IDADE

Quanto à faixa etária, o melhor desempenho do candidato da extrema-direita está nos adultos jovens (25 a 34 anos), aonde obtém 37% das expectativas. E o presidenciável escolhido por Lula apresenta índices similares em todas as idades, com variação de 22% (16-34 anos) até 24% (35-44 anos).

ESCOLARIDADE

Mas é a escolaridade que mostra maior discrepância de preferências entre os eleitores. O ex-prefeito e candidato do PT tem o melhor resultado entre os que concluíram a 4ª série do ensino fundamental: são 34% dos que votam em Haddad, vencendo Bolsonaro, que obtém somente 17% neste setor.

Haddad também vence por 28% contra 25% de Bolsonaro, entre os eleitores que concluíram da 5ª até a 8ª série do ensino fundamental.

Já a vantagem de Bolsonaro é marcada, principalmente, entre os eleitores que têm o ensino superior, com 43% deles afirmando votar no candidato do PSL e 14% declarando voto ao candidato do PT.

Os níveis que os dois candidatos atingem no acumulado de votos estão mais representados nos eleitores que completaram o ensino médio, aonde Bolsonaro tem maioria de 36% e Haddad 21%.

RENDA

Por seu programa de governo, o candidato do PT tem destaque entre as classes sociais mais baixas, com até 1 salário mínimo, aonde vence com 33% contra 19% de Bolsonaro.

Os que recebem entre 1 a 2 salários mínimos estão dividos: 24% votam em Haddad e 27% votam em Bolsonaro. Já os com maiores rendas, mais de 5 salários mínimos, garantem maioria (51%) ao candidato da extrema-direita.

RAÇA/COR

Os extremos também são identificados na raça/cor que afirmaram os eleitores: 37% dos brancos votam em Bolsonaro, contra uma minoria de 18% deles em Haddad. Já os que informam ser de cor preta/parda há um empate técnico de 29% votando em Bolsonaro e 26% votando em Haddad.

RELIGIÃO

Os eleitores que se dizem católicos empatam 27% para ambos os candidatos e a grande parte dos eleitores de Bolsonaro são evangélicos.

REGIÕES

Nas regiões brasileiras, Fernando Haddad vence por 36% contra 21% de Bolsonaro no Nordeste, e o candidato da direita tem maior diferença de votos na região Sul, com 40% contra 14% do candidato do PT.


Deixe um Comentário!