Notícias

Ciro acredita na virada: “48h para desarmar a bomba”

Ciro acredita na virada: “48h para desarmar a bomba”

Ciro acredita na virada: “48h para desarmar a bomba”

O pedetista também negou estar magoado com o PT. “Mágoa? [Não tem esse] Negócio de mágoa não”, falou ao ser questionado sobre o assunto.

O candidato à Presidência Ciro Gomes (PDT) afirmou neste sábado (6) acreditar que estará no segundo turno das eleições e também negou ter mágoa do PT.

Com 10% a 12% das intenções de voto, segundo as últimas pesquisas, ele aparece atrás de Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT). O primeiro turno será realizado neste domingo (7) em todo o Brasil.

“Eu vou chegar ao segundo turno e vou unir a família brasileira. Vou fazer diferente, como estou fazendo esta campanha. Não vou fazer entendimento politiqueiro, não vou lotear o governo, não vou lotear ministério e vou fundar um novo caminho para o Brasil”, declarou. “Se eu chegar, como vou chegar ao segundo turno, é porque o povo brasileiro, que é o meu patrão, me deu essa chance”.

O pedetista também negou estar magoado com o PT. “Mágoa? [Não tem esse] Negócio de mágoa não”, falou ao ser questionado sobre o assunto.

Antes do período eleitoral, Ciro tentou articular uma aliança com o PT e, de acordo com o próprio, chegou a ser convidado como vice de Luiz Inácio Lula da Silva. No entanto, as negociações não foram para frente em nível nacional, e o PT acabou isolando o PDT. O PSB, por exemplo, avaliou ficar com Ciro, mas, diante de articulações de Lula, se declarou “neutro”.

’48 horas para desarmar bomba’

Segundo Ciro, a população ainda tem “48 horas para, com a bênção de Deus, achar o equilíbrio, desarmar essa bomba e permitir que o Brasil se proteja deste salto no abismo do fascismo produzido por um antipetismo que não entendeu nada daquilo que é a necessidade do país atualmente”.

Indagado sobre qual a tática para tentar segurar o crescimento de Bolsonaro, Ciro disse que é mostrar o “despreparo” e a “desumanidade” dele.

“Ele representa a segregação, a violência, tudo de atrasado que no passado deu no flagelo nazifascista que matou mais de 5 milhões de pessoas no mundo”, disse o pedetista, ao ressaltar que o voto não é uma ferramenta de ódio, mas de construção.

Para Ciro, a mensagem de união de sua campanha foi transmitida ao povo brasileiro. Seu foco, disse, será para diminuir as desigualdades sociais nas periferias de maneira geral e no Nordeste.

(…)


Deixe um Comentário!