Brasil

Bolsonaro pede o voto em cédula

Bolsonaro pede o voto em cédula

Bolsonaro pede o voto em cédula

Primeiro foi a declaração de que não aceitaria o resultado das urnas, caso perdesse; depois as fake news sobre urnas fraudadas no dia da eleição; agora é a campanha por voto via cédula.

Em entrevista à Band, antes do primeiro turno das eleições, o candidato à presidência da República, Jair Bolsonaro colocou a democracia em risco ao dizer que não aceitaria o resultado das urnas caso Fernando Haddad (PT) vencesse a disputa.

Naquele dia, ele colocou os democratas em atenção quando relatou o descontentamento de alguns generais com uma possível vitória do PT nas urnas.

Em seguida, no dia da eleição, os seus apoiadores disseminaram nas redes sociais a notícia falsa de que as urnas eletrônicas tinham sido fraudadas e comprometeriam o resultado. O caos foi tão grande que em Santa Catarina, onde Bolsonaro teve mais de 65% das intenções de voto, um homem quebrou uma urna com uma marreta.

Agora, Jair Bolsonaro instiga os seus asseclas a exigir o voto em cédula. A deputada federal eleita Carla Zambelli (PSL-SP) é a principal entusiasta dos bolsonaristas a conclamar manifestações contra a lisura do processo eleitoral.

O TSE, que ainda não conseguiu resolver o problema das fake news divulgadas aos borbotões, a favor do capitão da reserva, está sendo desmoralizado por grupelhos fascistas que instam a população a duvidar de um processo que já dura 20 anos.

Deixe um Comentário!