Política

#EleNão: Mulheres promovem atos em mais de 70 cidades

#EleNão: Mulheres promovem atos em mais de 70 cidades

#EleNão: Mulheres promovem atos em mais de 70 cidades

No próximo sábado (29), mulheres promoverão atos em mais de 70 cidades brasileiras contra a candidatura de Jair Bolsonaro (PSL).

A adesão de celebridades nas últimas horas alimenta a manifestação “Mulheres contra Bolsonaro”, convocada para sábado, 29.

Milhares já confirmaram sua presença nos protestos anunciados para 70 cidades do Brasil e uma dezena de países em todo o mundo, de Argentina a Portugal, passando por Estados Unidos, Holanda e Inglaterra.

Reações nas redes sociais desencadearam o movimento #elenao, com mulheres planejando manifestação em todo o país contra o candidato em 29 de setembro.

A rejeição das mulheres é embalada por declarações e atos polêmicos de Bolsonaro, que já xingou uma deputada de “vagabunda”, acrescentando uma frase que chocou grande parte do eleitorado feminino por dizer que ela “não merecia ser estuprada”; destratou uma jornalista que o entrevistava chamando-a de “ignorante” e “idiota”; além de dizer que os homens “fraquejaram” ao ter filhas, e não ver problema na diferença salarial entre homens e mulheres.

A ira contra o presidenciável ganhou novo combustível na última segunda-feira, quando seu vice, o general Hamilton Mourão, disse que famílias pobres lideradas por mães e avós e sem pais e avôs são “fábricas de desajustados”.

Na pesquisa Ibope divulgada ontem (24), a rejeição a Jair Bolsonaro aumentou de 42% para 46%. O índice de rejeição ao capitão da reserva do Exército subiu a 50% entre o público feminino, mesmo internado após ser esfaqueado em 6 de setembro.

Deixe um Comentário!