Política

Haddad na CBN: Globo apoiou o golpe

Haddad: Globo apoiou o golpe

Haddad: Globo apoiou o golpe

Em entrevista à Rádio CBN e ao portal de notícias G1, o presidenciável Fernando Haddad (PT) disse que irá diminuir concentração no setor bancário e aumentar concorrência, além de taxar grandes fortunas.

Em entrevista à CBN e ao G1, na manhã desta terça-feira (18), o candidato Fernando Haddad (PT) meteu o dedo na ferida da Globo: “As organizações Globo levaram 50 anos para reconhecer que foi um erro de ter apoiado o golpe militar, que deixou o país nas trevas por mais de 20 anos. Eu não posso perdoar em 2 anos quem reconheceu que errou?”

Ele também afirmou que vai mexer em dois “vespeiros”. Se eleito, o petista prometeu que vai promover a taxação dos bancos e impedir a concentração dos meios de comunicação. “São dois cartéis”, disse ele.

Sobre a censura dos veículos de comunicação do Brasil em relação aos grupos de mídia estrangeiros que distribuem conteúdo em português, Haddad afirmou: “Nós não vamos permitir a cartelização dos meios de comunicação como querem alguns grupos econômicos no Brasil”.

Quando questionado sobre a possibilidade de apoiar Ciro Gomes (PDT), Haddad foi taxativo: “Claro. Nós somos do mesmo campo”. Outro assunto bastante debatido foi o possível indulto ao ex-presidente Lula. A mídia tradicional tem pautado o indulto como se a candidatura de Haddad fosse uma salvaguarda para a liberdade futura de Lula.

O presidenciável, entretanto, denunciou que o tema tem sido insuflado pela imprensa conservadora e esclareceu que Lula não quer indulto por ser inocente e, por isso, ele não dará indulto quando vencer as eleições.

Segundo ele, em 2019 a ONU e os tribunais superiores do Brasil irão julgar o mérito da condenação de Lula e que os processos contra o ex-presidente, eivados de ilegalidades, serão anulados.

Ouça à entrevista na íntegra:

Deixe um Comentário!