Notícias

Nem o Dinoprata sobreviveu à PEC da Morte!

Nem o Dinoprata sobreviveu à PEC da Morte!

Nem o Dinoprata sobreviveu à PEC da Morte!

Com o incêndio que destruiu o museu na noite deste domingo (2), o Dinoprata foi uma das ‘vítimas fatais’.  Virou cinzas como boa parte dos 20 milhões de itens.

O nome científico do grande réptil é Maxakalisaurus topai. Esta espécie de dinossauro herbívoro viveu durante o período Cretáceo, há cerca de 80 milhões de anos, na América do Sul. Quando adulto media aproximadamente 13 metros de comprimento e pesava cerca de nove toneladas.

Os primeiros fósseis deste animal foram encontrados na Serra da Boa Vista, a cerca de 45 km da cidade de Prata, na região do conhecida como Triângulo Mineiro, estado de Minas Gerais, Brasil. Após votação popular passou a ser também chamado de Dinoprata, em homenagem ao município onde foi encontrado.

O mais célebre Maxakalisaurus topai encontrado por pesquisadores teve as suas partes montadas e permaneceu no Museu Nacional, na sala dos dinossauros.

Com o incêndio que destruiu o museu na noite deste domingo (2), o Dinoprata foi uma das ‘vítimas fatais’. Virou cinzas como boa parte dos 20 milhões de itens.

O Dinoprata, cujos fósseis sobreviveram à destruição do meteoro que dizimou todas as espécies de dinossauros, não resistiu à PEC da Morte. Não resistiu ao corte de investimentos.

As crianças que não o viram, perderão a chance de ver os fósseis de um animal que aqui viveu há quase 100 milhões de anos. Um golpe que destrói o passado e fere o futuro. Uma marca indelével do desastre chamado Michel Temer na história desse país.

Deixe um Comentário!