Brasil

Para ser vice de Bolsonaro tem que ser racista

Para ser vice de Bolsonaro tem que ser racista

Para ser vice de Bolsonaro tem que ser racista

O general Hamilton Mourão fez uma declaração racista em almoço na Câmara de Indústria e Comércio (CIC) de Caxias do Sul (RS), nesta segunda-feira (6).

Em almoço na Câmara de Indústria e Comércio (CIC) de Caxias do Sul (RS), nesta segunda-feira (6), o vice de Jair Bolsonaro (PSL), o general da reserva Hamilton Mourão (PRTB), disse que o Brasil herdou a “indolência” dos indígenas e a “malandragem” dos africanos.

A frase, preconceituosa por si só, se torna ainda pior no contexto: Mourão fazia uma explicação sobre as condições de subdesenvolvimento e conflitos políticos e sociais da América Latina.

“E o nosso Brasil? Já citei nosso porte estratégico. Mas tem uma dificuldade para transformar isso em poder. Ainda existe o famoso ‘complexo de vira-lata’ aqui no nosso país, infelizmente. Nós temos que superar isso. Está aí essa crise política, econômica e psicossocial. Temos uma herança cultural, uma herança que tem muita gente que gosta do privilégio. Mas existe uma tendência do camarada querer aquele privilégio para ele. Não pode ser assim. Essa herança do privilégio é uma herança ibérica. Temos uma certa herança da indolência, que vem da cultura indígena. Eu sou indígena. Meu pai é amazonense. E a malandragem, Edson Rosa [vereador negro que estava no encontro], nada contra, mas a malandragem é oriunda do africano. Então, esse é o nosso cadinho cultural. Infelizmente gostamos de mártires, líderes populistas e dos macunaímas”, disse o militar.

Esta foi a primeira aparição pública do general da reserva que foi escolhido pelo celerado. Dá até para imaginar oque vem por aí.

Deixe um Comentário!