Blog do Mailson Ramos

Aumento para juízes, terceirização irrestrita para os trabalhadores

Aumento para juízes, terceirização irrestrita para os trabalhadores

Aumento para juízes, terceirização irrestrita para os trabalhadores

O Supremo Tribunal Federal (STF) negociou com Michel Temer o aumento dos salários dos magistrados; em troca, aprova a terceirização irrestrita para os trabalhadores.

O mote ‘Com Supremo, com tudo”, proferido por Romero Jucá em diálogos escabrosos com Sérgio Machado, nunca foi tão atual. Enquanto 14 milhões de desempregados amargam os dissabores de uma crise aprofundada por um governo nefasto, o STF aumentou o salário dos juízes. Reajuste de 16,38%.

Mal receberam o aumento, os magistrados retornaram ao Supremo para exigir auxílio-alimentação. As regalias de suas excelências são tapas consecutivos na cara da sociedade, uma demonstração cabal de que o Brasil é um país de castas e a mais desavergonhada delas é o judiciário.

A sanha dos juízes não é por direitos; é por privilégios. Ao liberar o reajuste para a classe, Michel Temer vai cortar R$ 1bilhão em investimentos, deixando para o próximo governo o mais baixo patamar de recursos para essa rubrica dos últimos dez anos.

Não nos esqueçamos de que membros do judiciário, que tem imóveis próprios nas cidades onde vivem, recebem auxílio-moradia. Ou seja, o problema é o Bolsa Família e não um juiz que recebe R$ 4.377 mesmo tendo uma casa própria.

Entretanto, quando o assunto é observar os direitos da classe trabalhadora, a justiça atende aos interesses dos poderosos. Hoje (29), este mesmo STF que negociou com Michel Temer o aumento de salário para os juízes, tornou constitucional a terceirização irrestrita.

Para Cármen Lúcia, a preocupação no debate é saber qual a forma mais “progressista” de se assegurar empregos, direitos econômicos e, principalmente, o direito do trabalhador. Ele discordou dos ministros que associavam a terceirização a uma precarização ou “degradação” do trabalho.

Quem precisa de uma Suprema Corte que somente age de acordo com os interesses do patronato? Será por isso que a ministra Cármen Lúcia se reúne com executivos da Shell, Coca-Cola, Siemens e a vendida mídia tradicional?

Deixe um Comentário!