Mundo

Papa Francisco: pena de morte é “inadmissível”

Papa Francisco: pena de morte é “inadmissível”

Papa Francisco: pena de morte é “inadmissível”

O Papa Francisco aprovou a modificação do Catecismo da Igreja Católica para declarar “inadmissível” a pena de morte em todas as circunstâncias.

Com uma reinscrição hoje difundida pela Congregação para a Doutrina da Fé, o Papa Francisco modificou a norma do Catecismo da Igreja Católica em relação à pena de morte, declarada “inadmissível” e a ser abolida nos países onde ainda está em vigor.

“A Igreja ensina, à luz do Evangelho, que ‘a pena de morte é inadmissível porque está atenta à inviolabilidade e dignidade da pessoa’, e está comprometida com determinação para a sua abolição em todo o mundo”.

O novo esboço n. 2267 do Catecismo da Igreja Católica, aprovado pelo Papa Francisco em 11 de maio durante a audiência concedida ao Cardeal Luis Francisco Ladaria Ferrer, prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé. Este trecho será traduzido para as várias línguas e incluído em todas as edições do catequismo acima mencionado.

Leia também:

“Durante muito tempo, o recurso à pena de morte pela autoridade legítima, após um julgamento regular, foi considerado uma resposta adequada à gravidade de alguns crimes e um aceitável, ainda que extremo, para a proteção do bem comum”, no reescrito, divulgado hoje pela Assessoria de Imprensa da Santa Sé:

“Hoje, cresce a consciência de que a dignidade da pessoa não se perde, mesmo depois de cometer crimes muito graves. Além disso, uma nova compreensão do senso de penalidades criminais pelo Estado se espalhou. Por fim, foram desenvolvidos sistemas de detenção mais eficazes, que garantem a defesa adequada dos cidadãos, mas, ao mesmo tempo, não privam o agressor da possibilidade de se redimir”.

Nesta mesma perspectiva, o Papa Francisco reiterou que “hoje a pena de morte é inadmissível, por mais grave que seja o crime do condenado”. A pena de morte, seja qual for a forma de execução, “implica um tratamento cruel, desumano e degradante”. Também deve ser recusado “por causa da seletividade defeituosa do sistema penal e da possibilidade de erro judicial”. É sob essa luz que o Papa Francisco pediu uma revisão da formulação do Catecismo da Igreja Católica sobre a pena de morte.

Com informações do agência SIR.

Deixe um Comentário!