Nossa Política » Política » Imprensa internacional repercute decisão da ONU sobre Lula

Política

Imprensa internacional repercute decisão da ONU sobre Lula

Imprensa internacional repercute decisão da ONU sobre Lula
Imprensa internacional repercute decisão da ONU sobre Lula
O que a mídia tradicional esconde aqui no Brasil sobre a decisão do Comitê de Direitos Humanos da ONU sobre Lula, o NOSSA POLÍTICA publica a seguir.

Diversos veículos de imprensa do mundo repercutiram a decisão do Comitê de Direitos Humanos da ONU sobre a possibilidade do ex-presidente Lula ter o direito de ser candidato à presidência da República, mesmo preso.

  1. NY Times: Brazil’s Lula Should Have Political Rights – U.N. Human Rights Committee

New York Times: O Comitê da ONU, que supervisiona o cumprimento dos países do Pacto Internacional sobre Direitos Civis e Políticos, disse em uma declaração por email que pediu ao governo brasileiro “para não impedi-lo de se candidatar nas eleições presidenciais de 2018, até seus recursos perante os tribunais”. foram concluídas em processos judiciais justos “.

O comunicado acrescentou que o governo brasileiro deve garantir “que Lula possa desfrutar e exercer seus direitos políticos enquanto estiver na prisão, como candidato nas eleições presidenciais de 2018”.

“Isso inclui ter acesso apropriado à mídia e aos membros de seu partido político”, disse o comitê.

A delegação da ONU em Genebra disse em uma declaração escrita que as conclusões do comitê não eram legalmente vinculantes, mas que as recomendações sobre Lula seriam passadas para o Judiciário do país.

  1. UN human rights committee asks Brazil to let Lula run in election

Al Jazeera: O ex-presidente lidera as pesquisas por ampla margem. Ele e seus defensores dizem que as acusações são politicamente motivadas.

De acordo com a lei brasileira, os candidatos com uma condenação mantida não podem manter o cargo por oito anos.

Mas uma condenação não os impede de fazer campanha.

O Tribunal Superior Eleitoral, que tem até 17 de setembro para decidir sobre a candidatura de Lula, deve proibir a candidatura de 72 anos de idade, uma decisão que seus advogados podem apelar para a Suprema Corte.

  1. Channel News Asia: Brazil’s Lula should have political rights – UN Human Rights Committee

Channel News Asia: A equipe jurídica de Lula disse em uma declaração escrita que eles interpretam a decisão da comissão como significando que “nenhuma entidade do governo brasileiro pode apresentar quaisquer obstáculos à capacidade do ex-presidente Lula de concorrer às eleições presidenciais de 2018, até que seus recursos sejam esgotados em um julgamento justo”.

O principal tribunal eleitoral do Brasil deve declarar Lula inelegível nas próximas semanas, antes da votação de 7 de outubro, sob uma lei “Clean Slate” que proíbe políticos de buscarem cargos públicos se eles forem condenados por um crime e em recurso, como é o caso de Lula.

  1. This is Money: Brazil’s Lula should have political rights – UN Human Rights Committee

This is Money: O Comitê de Direitos Humanos da ONU disse na sexta-feira que solicitou que o governo brasileiro permita que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva exerça seus direitos políticos.

Lula é o candidato presidencial do Partido dos Trabalhadores e lidera as pesquisas antes das eleições de outubro, mas é amplamente esperado que seja proibido de concorrer por um tribunal eleitoral. Ele foi preso em abril por condenação por corrupção.

  1. News24: Brazil must let Lula run in October vote: UN panel

News24: Lula, que serviu como presidente do Brasil de 2003 a 2010, começou a cumprir uma sentença de 12 anos por corrupção em abril, mas continua sendo o principal candidato antes da eleição de outubro.

O comitê disse que Lula não pode ser barrado como candidato “até que seus recursos sejam concluídos em julgamentos judiciais justos” para evitar infligir “dano irreparável” aos 72 anos de idade.

O membro do comitê, Olivier de Frouville, disse à AFP que os apelos de Lula aos tribunais superiores e supremo do Brasil podem levar ao cancelamento de sua condenação.

Dada essa incerteza jurídica, Lula deveria ser capaz de “organizar e fazer campanha, até mesmo da cadeia”, disse ele.

O comitê com sede em Genebra monitora a conformidade de um Estado membro com o Pacto Internacional sobre Direitos Civis e Políticos, bem como um texto suplementar chamado Protocolo Opcional.

Como o Brasil ratificou ambos os textos, é tecnicamente obrigado a acatar as conclusões do comitê.

  1. Sputnik News: UN Rules Brazil’s Ex-President Lula Can Stand in Elections Despite Sentence

Sputnik News: O Partido dos Trabalhadores apresentou documentos para arquivar Lula como candidato oficial pouco antes do prazo final de quarta-feira. “É oficial! Lula é o candidato do Partido dos Trabalhadores à presidência”, disse o site da PT em um comunicado.

Os brasileiros irão às urnas para votar em 7 de outubro para o primeiro turno das eleições presidenciais. O segundo turno acontecerá no dia 28 de outubro, caso os candidatos não atinjam um limite de 50%.

  1. Democratic Underground: UN human rights committee asks Brazil to let Lula run in election

Democratic Underground: O Comitê de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU) pediu que o ex-presidente Luiz Inácio “Lula” da Silva seja candidato a candidatar-se às eleições presidenciais de outubro.

O comitê, que supervisiona o cumprimento pelos países do Pacto Internacional sobre Direitos Civis e Políticos, disse na sexta-feira que Lula não pode ser desqualificado da pesquisa porque seus apelos legais ainda estão em andamento.

O comitê exortou o Brasil a “não impedi-lo de concorrer às eleições presidenciais de 2018, até que seus recursos perante os tribunais tenham sido concluídos em processos judiciais justos”.

  1. The Guardian: UN: Brazil’s jailed ex-president Lula can’t be disqualified from election

The Guardian: O comitê com sede em Genebra monitora a conformidade de um Estado membro com o pacto internacional sobre direitos civis e políticos, bem como um texto suplementar chamado protocolo opcional.

Como o Brasil ratificou os dois textos, é tecnicamente obrigado a obedecer às conclusões do comitê.

O membro do comitê, Olivier de Frouville, disse à AFP que os leigos pediram uma ação urgente em três questões: que ele seja imediatamente libertado da prisão, que ele tenha acesso à mídia e seu partido político e que seja autorizado a concorrer nas eleições.

O painel rejeitou a primeira solicitação, mas ficou do lado de Lula nas duas outras questões.

  1. Reuters: Brazil’s Lula should have political rights: U.N. Human Rights Committee

Reuters: O comitê da ONU, que supervisiona o cumprimento do Pacto Internacional pelos Direitos Civis e Políticos, disse em comunicado que pediu ao governo brasileiro que “não o impeça de concorrer às eleições presidenciais de 2018, até seus recursos perante os tribunais” foram concluídas em processos judiciais justos. ”

  1. TeleSur: International Human Rights Group: Lula Is a Political Prisoner

Telesur: “A Fundação Internacional de Direitos Humanos concede o status de prisioneiro de consciência sob prisão arbitrária ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva”, diz o comunicado.

No domingo de manhã, o juiz de apelação, Rogério Favreto, ordenou a libertação imediata de Lula como resposta a um pedido de Habeas Corpus por seus advogados.

O juiz de primeira instância Sergio Moro tentou suspender a resolução, apesar de estar de férias e não ter autoridade legal para fazê-lo. Também, o juiz de apelo João Pedro Gebran Neto, que está no comando do caso Lula, mas também de férias, disse que a decisão de Favreto não deve ser aceita.

  1. Daily Star: Brazil’s Lula should have political rights : UN Human Rights Committee

Daily Star: O Comitê de Direitos Humanos da ONU disse na sexta-feira que pediu ao governo brasileiro que permita que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva exerça seus direitos políticos.

  1. Reuters Canada: Brazil’s Lula should have political rights: U.N. Human Rights Committee

Reuters Canadá: O Comitê de Direitos Humanos das Nações Unidas, um painel de especialistas independentes, disse na sexta-feira que solicitou que o governo brasileiro permita que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva exerça seus direitos políticos como candidato à presidência.

  1. Le Monde: Brésil : selon un comité de l’ONU, Lula doit pouvoir se présenter à l’élection présidentielle

Le Monde: Este comitê, que é um órgão de monitoramento do Escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos, é responsável por garantir o cumprimento do Pacto Internacional sobre os Direitos Civis e Políticos e o Protocolo Opcional associado. Como o Brasil ratificou ambos os textos, é tecnicamente obrigado a respeitar as decisões do comitê.

  1. Le Figaro: Bresil: l’Onu en faveur de Lula

Figaro: Condenado a doze anos de prisão por corrupção, Lula, investido por seu Partido dos Trabalhadores (PT), teve nesta semana sua candidatura para a eleição presidencial em outubro próximo. Mas deve ser rejeitado pelo tribunal eleitoral: uma lei chamada “Ficha Limpa” (ficha em branco) prevê que os políticos que foram condenados em apelo por corrupção não são elegíveis para o mais alto cargo.

  1. Swiss Info: Comitê da ONU pede que Brasil permita a Lula fazer campanha da prisão

Swiss Info: O organismo também considerou que Lula não pode ser excluído como candidato “até que seus recursos na justiça tenham sido julgados por completo, em procedimentos judiciais justos”.

A Ministério das Relações Exteriores respondeu pouco depois que “as conclusões do Comitê têm caráter de recomendação e não possuem efeito juridicamente vinculante”, comprometendo-se a encaminhar as decisões adotadas pelo grupo formado por especialistas ao Poder Judiciário.

  1. RFI: ONU pede que Brasil permita candidatura de Lula

RFI: O comitê, formado por especialistas em direitos civis e políticos, tomou a decisão em resposta a um pedido urgente feito pelos advogados de Lula no dia 27 de julho, em Genebra. Em uma declaração breve, o comitê “pede ao Brasil que tome todas as medidas necessárias para permitir que Lula (…) exerça seus direitos políticos, como candidato à eleição presidencial” de outubro de 2018. O Comitê de Direitos Humanos enfatiza que sua candidatura só pode ser impedida “uma vez que seus recursos tenham sido examinados com justiça”.

  1. ANSA: Brasile: Onu chiede ok candidatura Lula

Ansa: Em particular, a pedido dos advogados de Lula, o Comitê pediu permissão para “exercer seus direitos políticos na prisão”. Isso poderia significar “acesso apropriado à mídia e aos membros de seu partido” e a possibilidade de que “ele se apresentará nas eleições presidenciais de 2018, até que os recursos se esgotem” da condenação por corrupção e lavagem de dinheiro, confirmada até agora. em primeira e segunda instância.

  1. RAI: Elezioni Brasile, Onu: Lula partecipi

RAI: A ONU intervém na disputa brasileira pela candidatura do ex-presidente Lula da Silva nas eleições de 7 de outubro. O Comitê de Direitos Humanos pediu às autoridades brasileiras que garantam os direitos políticos de Lula, na prisão por corrupção e lavagem de dinheiro, para que ela possa participar. A candidatura de Lula, na prisão por corrupção e lavagem de dinheiro, foi exigida por seu partido, mas provavelmente será invalidada por uma lei que proíbe a participação em pessoas que tenham sido condenadas em recurso.

  1. El Mundo: El Comité de DDHH de la ONU pide a Brasil que Lula pueda participar en la campaña electoral

El Mundo: Em sua opinião, o comitê exige que o Estado brasileiro adote todas as medidas necessárias para garantir que Lula “exerça todos os seus direitos políticos enquanto estiver na prisão, como candidato à eleição presidencial de 2018”, que celebra a primeira rodada 7 de outubro

Ele também pede que Lula tenha acesso adequado à imprensa e a todos os membros de seu partido político, o Partido dos Trabalhadores (PT), e que “o Estado não o impeça de concorrer às eleições presidenciais até que todos os recursos sejam movidos contra ele”. a sentença condenatória é julgada em processos judiciais justos “.

  1. El Diario: El Comité de Derechos Humanos de la ONU pide a Brasil que permita a Lula presentarse como candidato

El Diario: Os advogados de Lula denunciaram o Estado brasileiro ao Comitê de Direitos Humanos em maio passado por motivos de perseguição política, mas a decisão não será emitida até 2019 para permitir que todas as partes defendam seus argumentos.

O posicionamento do Comitê coincide com a inscrição no Brasil da candidatura de Lula para as eleições de 7 de outubro, que foi imediatamente contestada pela Procuradoria Geral e sobre as quais o Tribunal Superior Eleitoral deve deliberar.

  1. Sapo: Comité da ONU pede ao Brasil que garanta direito de Lula da Silva se candidatar

Sapo: Formado por peritos independentes, este comité solicitou que o país não impeça Lula da Silva de concorrer às eleições Presidenciais de 2018 até que os seus recursos na Justiça tenham sido esgotados por completo.

O mesmo órgão esclareceu que se trata de uma “medida provisória” com a qual se pretende “preservar os direitos” de Lula da Silva e não um pronunciamento final sobre seu caso.

Os advogados do antigo chefe de Estado denunciaram o país no Comité de Direitos Humanos da ONU em maio passado alegando que o seu cliente é perseguido politicamente, mas a decisão sobre o caso não será emitida pelo órgão até 2019.

  1. Deutschland Funk: UNO: Lula darf bei Wahl nicht ausgeschlossen werden

Deuteschland Funk: Lula não deve ser excluído como candidato até que tenha esgotado todas as opções legais para agir contra sua condenação, disse o órgão em Genebra. O governo brasileiro deve garantir que Lula possa exercer seus direitos políticos. Ele foi condenado a 12 anos de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro em abril. O homem de 72 anos nega as acusações contra ele e vê sua condenação politicamente motivada.

  1. derStandard: Uno: Brasilien muss inhaftierten Lula bei Wahl antreten lassen

DerStandard: O Comitê de Direitos Humanos, portanto, pediu ao Brasil “que tome todas as medidas necessárias para assegurar que Lula possa exercer seus direitos políticos como candidato nas eleições presidenciais, inclusive da prisão”. O Brasil, como signatário da Convenção Internacional dos Direitos Civis, é obrigado a seguir as recomendações do Comitê.

Tags