Mídia

Eliane Cantanhede chama comitê da ONU de ‘comitezinho’

Eliane Cantanhede chama comitê da ONU de ‘comitezinho’

Eliane Cantanhede chama comitê da ONU de ‘comitezinho’

Com sua tradicional passionalidade tucana, a essa coleção de ‘artigos constrangedores do golpe’, Cantanhede chama o Comitê de Direitos Humanos da ONU de ‘comitezinho’.

A pressão internacional para que a realidade factual prevaleça no Brasil tem confundido e desesperado muitos colunistas da imprensa hegemônica. Sardenberg já havia dado a sua contribuição ao bestiário dos ‘micos antológicos’ quando produziu uma fakenews acusando a ONU de insignificância. Eliane Cantanhêde se junta, com sua tradicional passionalidade tucana, a essa coleção de ‘artigos constrangedores do golpe’. Ela chama o Comitê de Direitos Humanos da ONU de ‘comitezinho’

A colunista do jornal o Estado de S. Paulo afirma, lamentando o crescimento de Lula nas pesquisas: “sabem aquela história do ‘falem mal, mas falem de mim’? É exatamente o que ocorre com o ex-presidente Lula, que está preso em Curitiba, mas corre livre, leve e solto na mídia. É pelo ‘recall’ do seu governo, mas também pelo excesso de exposição, que Lula se mantém disparado na liderança do Ibope, apesar de ser flagrantemente inelegível.”

Cantanhêde continua, em tom de lamento quase indignado: “a cada habeas corpus, Lula ganha boa visibilidade tanto no pedido quanto na negativa. Quando o desembargador Rogério Favreto deu uma canetada para soltá-lo, Lula ganhou sucessivas manchetes ao longo de um domingo inteiro, com a decisão de Favreto, a reação do juiz Sérgio Moro, as negativas do relator e do presidente do TRF-4, a nota da presidente do STF, Cármen Lúcia.”

E continua – sem disfarçar a profunda insatisfação com a realidade factual que insiste em prevalecer diante de seus olhos – com sua épica qualificação dos Comitê de Direitos Humanos da ONU: “tem greve de fome de militante, manifestação vermelha parando o trânsito na capital da República, o mais do que polêmico registro da chapa, a dúvida sobre quem seria relator dos dez pedidos de impugnação. Até um comitezinho técnico de um órgão da ONU ganha primeiras páginas.”

Cantanhêde ainda prognostica Haddad e Bolsonaro no segundo turno e vislumbra Ciro e Marina sendo cabos eleitorais de segunda grandeza: “contra o crescimento de Haddad e a consolidação de Bolsonaro trabalham Ciro e Marina, que perderam a guerra pelas alianças, e Alckmin, que tem várias vezes mais tempo na TV e mais estrutura de campanha. É exatamente por isso que Ciro e Marina deixam Haddad e Bolsonaro para lá e focam suas baterias contra o tucano. Querem impedir que cresça.”

Fonte: Brasil 247

Deixe um Comentário!