Nossa Política

Álvaro Dias tem um cabo eleitoral chamado Sérgio Moro

Álvaro Dias tem um cabo eleitoral chamado Sérgio Moro
Enquanto falava em combate a corrupção e privilégios, Álvaro Dias foi lembrado por Ciro Gomes de que Moro recebe auxílio-moradia.

De acordo com o Huffpost Brasil, a participação do senador Álvado Dias, candidato do Podemos, no debate da Band, foi marcada por sua insistência em colar sua imagem à do juiz federal Sergio Moro, responsável pelos processos da Operação Lava Jato na primeira instância.

O senador tem dito que, se eleito, vai convidar Moro para assumir o Ministério da Justiça. Ele afirma, porém, que o assunto ainda não foi discutido com o magistrado.

Fez inclusive um convite público ao magistrado, durante a primeira pergunta a ele dirigida no primeiro bloco do programa: “Vou continuar combatendo os privilégios e combatendo a corrupção, por isso eu já convidei publicamente o juiz Sergio Moro”, afirmou.

Em outro momento do debate, Dias disse que “a Lava Jato é prioridade”: “É por essa razão que eu disse que convido o juiz Sergio Moro para ser ministro da Justiça e continuar a limpeza”, afirmou.

Depois, ao ser questionado por uma jornalista da Band sobre combate à corrupção, disse que transformaria a Lava Jato em “política de Estado permanente”: “E para isso nós vamos convidar o juiz Sergio Moro para ministro da Justiça, mas não só ele, uma seleção de juristas”.

Quando o debate esquentou, já no quarto bloco, Dias manteve a discussão sobre o fim de privilégios, ao que foi admoestado por Ciro Gomes sobre o auxílio-moradia recebido pelo juiz de Curitiba.

“Só para fazer uma notinha de rodapé: o eminente juiz Sergio Moro, que tem prestado sem dúvida um bom serviço ao País, recebe o auxílio-moradia sendo proprietário de um apartamento em Curitiba”, afirmou o ex-governador do Ceará.

Na saída do debate, o senador disse a jornalistas que ainda não falou com Moro sobre o convite para o Ministério da Justiça em um eventual governo. “O que eu disse é que ele só tem que responder quando eu chegar à Presidência”, afirmou.

Os repórteres, então, insistiram para que Dias respondesse se foi combinado com Moro que o nome dele seria explorado na campanha. “Esse é um problema nosso. Se eu tivesse falado, também não diria [para a imprensa]. Não falei com ele, mas, se tivesse falado, não diria.”

Por fim, Dias foi indagado se a estratégia não causa constrangimento a Moro. “Tenho certeza que não. Ele me conhece.”


Escreva um comentário

ÚLTIMAS NOTÍCIAS