Brasil

Verbas para o Minha Casa Minha Vida caíram 83% no governo Temer

Verbas para o Minha Casa Minha Vida caíram 83% no governo Temer

Verbas para o Minha Casa Minha Vida caíram 83% no governo Temer

Das 3,9 milhões de entregas realizadas até agora pelo Minha Casa Minha Vida, mais de 85% ocorreram durante os governos Lula e Dilma.

Do site do PT:


A política de cortes promovida pelo golpe vem deixando os mais pobres sem ter onde morar. Milhares de obras praticamente terminadas do Minha Casa Minha Vida (MCMV) estão deixando de ser entregues pela ausência de itens como eletricidade, saneamento e documentação.

De acordo com o Ministério das Cidades, mais de 40 mil unidades do programa estão paralisadas em estados como Espírito Santo, Bahia e Rio Grande do Norte. Um aumento de 33% em relação ao último ano com a presidenta eleita no poder. O número de casas prontas que não foram entregues é ainda mais alarmante: quase 190 mil. A situação é tão alarmante, que virou pauta neste domingo (15) na golpista TV Globo.

Praticamente todos os imóveis correspondem à faixa 1, oferecida às famílias que recebem até R$ 1.800, cerca de dois salários mínimos, e representam a esmagadora maioria dos prejudicados pelo déficit habitacional. Nessa modalidade, o subsídio público pode representar quase todo o imóvel.

Os valores efetivamente pagos pelo MCMV foram reduzidos em 83% sob o golpe. Enquanto isso, Temer amplia o valor máximo dos imóveis financiados pela Caixa, beneficiando a população de renda mais alta. Uma inversão do papel do banco público, que deveria priorizar quem mais precisa.

Antes, durante os governos do PT, as políticas sociais eram prioridade, já que o povo estava incluído no orçamento. Das 3,9 milhões de entregas realizadas até agora pelo Minha Casa Minha Vida, mais de 85% ocorreram durante os governos Lula e Dilma. Nos governos do PT, o volume anual de entregas chegava perto de 1 milhão de unidades. Mais de 1000 casas por dia.

Atualmente, só na capital baiana, 311 mil pessoas amargam na fila de espera por um teto, e aqueles que conseguem, não recebem as chaves. Um exemplo é um residencial em São Tomé de Paripe, cuja obra está parada desde 2016. No caso desse imóvel, a reportagem revela que a construtora contratada simplesmente abandonou a obras por falta de pagamentos do governo.

A missão do governo Dilma de entregar mais dois milhões de moradias até 2018 foi totalmente abandonada por Temer. Conforme reportagem do Estadão, só 13,5% das 170 mil unidades prometidas para a Faixa 1 foram entregues no primeiro ano do golpista no poder. Os dados gerais do Minha Casa Minha Vida também ficaram bem abaixo da meta. Para este ano, o golpista fechou contrato de 700 mil unidades. Dá para acreditar nessas promessas?


Deixe um Comentário!