Nossa Política » Mídia » Valor Econômico tenta alavancar candidatura Alckmin

Mídia

Valor Econômico tenta alavancar candidatura Alckmin

Valor Econômico tenta alavancar candidatura Alckmin
Valor Econômico tenta alavancar candidatura Alckmin
Veículo do Grupo Globo publicou chamada que não conduz com o conteúdo da matéria sobre um possível crescimento da candidatura de Alckmin.

Do Vermelho:


A afirmação do título, no entanto, não condiz com o conteúdo da matéria que afirma: “Ainda não é possível dizer que Alckmin cresceu”. Ora, que tendência é essa então? Como diz o dito popular: tucanaram a tendência.

De acordo com o jornal, a pesquisa XP/Ipespe divulgada nesta sexta, assim como o tucano, Marina Silva (Rede) e Ciro Gomes (PDT), seguem longe da liderança nas pesquisas ocupada por Lula.

“Ainda não é possível dizer que Alckmin cresceu, pois a oscilação, nos quatro cenários testados, se deu dentro da margem de erro, de 3,2 pontos percentuais. Mas, quando se olha a curva semana a semana, há viés de alta”, diz um trecho da matéria.

Mas a matéria do Valor vai ficando cada vez mais interessante. Diz que o tucano alcança 10% das intenções de voto apenas quando o PT não apresenta candidato, ou seja, quando Lula é retirado da pesquisa. Diz ainda que Alckmin também cresce quando Fernando Haddad é o nome petista na disputa – fato esse que por enquanto é apenas especulação, portanto o resultado da pesquisa pode ser bem diferente se oficializar.

Na semana passada, Alckmin ganhou um bom espaço no jornal que publicou entrevista com o tucano. No mesmo período, Alckmin tinha 9% no primeiro cenário e 8% do segundo. Nos cenários com Lula ou com Haddad apresentado como “apoiado por Lula”, Alckmin tem 9% – era 7% na semana passada.

Quando os entrevistados são apresentados a Haddad como “Haddad apoiado por Lula”, o quadro fica assim: Bolsonaro com 22%; Haddad com 12%; Marina, 10%; Alckmin e Ciro com 9% cada; Alvaro com 5%; Manuela com 2%; Meirelles e Boulos com 1% cada. Não votos totalizam 29%.

No cenário em que Lula é candidato, o petista lidera com 30%, seguido por Bolsonaro com 20%. Alckmin tem 9%; Marina e Ciro, 8% cada; Alvaro, 5%; João Amoêdo (Novo), Meirelles e Manuela tem 1% cada. Boulos não pontua, e os não votos ficam em 17%.

A pesquisa XP/Ipespe desta semana ouviu 1 mil pessoas, em entrevistas por telefone, com cobertura nacional. Foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) como BR-07756/2018.