Política

Depois de muitas manobras, Thompson Flores mantém Lula preso

Depois de muitas manobras, Thompson Flores mantém Lula preso

Depois de muitas manobras, Thompson Flores mantém Lula preso

Após um dia inteiro de manobras, o desembargador Thompson Flores, presidente do TRF-4, emitiu um despacho determinando a manutenção da prisão de Lula.

O presidente do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), desembargador Carlos Eduardo Thompson Flores, divulgou na noite deste domingo (8) um despacho em que determina a manutenção da prisão de Lula e suspende o habeas corpus concedido pelo desembargador do mesmo tribunal, Rogério Favreto.

“Determino o retorno dos autos ao Gabinete do Des. Federal João Pedro Gebran Neto, bem como a manutenção da decisão por ele”, escreveu Flores ao submeter a apreciação do habeas corpus ao relator da Lava Jato no TRF4. Em seu texto, o presidente do tribunal argumenta que a decisão sobre a liberdade de Lula não caberia ao desembargador plantonista que proferiu a primeira decisão.

A decisão de Thompson Flores vem após um dia inteiro de manobras por parte do juiz Sérgio Moro, de Gebran Neto e da própria Polícia Federal.

No habeas corpus, o desembargador argumenta que há fatos novos que não foram julgados pelo plenário do TRF4. “Desse modo, já respondo a decisão (Evento 17) do eminente colega, Des. João Pedro Gebran Neto, que este magistrado não foi induzido em erro, mas sim deliberou sobre fatos novos relativos à execução da pena, entendendo por haver violação ao direito constitucional de liberdade de expressão e, consequente liberdade do paciente, deferindo a ordem de soltura”, escreveu Favreto no terceiro despacho que divulgou hoje.

O primeiro despacho do dia, determinando a soltura de Lula, foi suspenso pelo desembargador João Pedro Gebran Neto. Favreto, então, divulgou um novo despacho reiterando que o poder de decisão, nesta situação, cabe ao plantonista, e que a decisão não fere atos anteriores que negaram a liberdade ao ex-presidente. Antes disso, em outro despacho, Favreto refutou a decisão do juiz Sérgio Moro de não cumprir sua determinação.

Com o ultimato de Favreto, dando prazo para que a PF soltasse Lula, o ex-presidente já deveria ter sido solto. Os agentes, no entanto, em uma clara manobra, impuseram burocracias para que o petista não fosse solto antes do posicionamento de Thompson Flores.

Fonte: Revista Fórum

Deixe um Comentário!