História

Presidente Truman e a bomba atômica

Presidente Truman e a bomba de Hiroshima de Nagasaki

Presidente Truman e a bomba atômica

Após autorizar a explosão da bomba atômica sobre a cidade de Hiroshima, o presidente americano Harry Truman foi ao rádio anunciar aos americanos o uso do artefato de destruição em massa.

Locutor: Boa noite da Casa Branca em Washington. Senhoras e senhores, o Presidente dos Estados Unidos.

Harry S. Truman: Meus compatriotas americanos, os governos britânico, chinês e norte-americano deram ao povo japonês um aviso adequado do que está reservado para eles. O mundo notará que a primeira bomba atômica foi lançada em Hiroshima, uma base militar *. Se o Japão não se render, as bombas terão de ser abandonadas em suas indústrias de guerra e, infelizmente, milhares de vidas civis serão perdidas. Eu peço aos civis japoneses que deixem cidades industriais imediatamente e se salvem.

*Hiroshima foi a base do Segundo QG Geral do Exército Imperial Japonês. Somente cerca de 15% da população da cidade era formada por militares. A grande maioria atingida era de civis.

No dia 14 de agosto, nas cidades dos Estados Unidos, milhares de americanos tomaram as ruas para comemorar. O Japão finalmente havia se rendido.

Dois dias depois, seria autorizado o lançamento de outra bomba atômica, desta vez em Nagasaki.

Os tripulantes do Enola Gay foram aclamados como heróis: eles foram aplaudidos nos desfiles de vitória, apareceram nas capas de revistas e em anos posteriores transmitiram histórias de suas experiências em programas de televisão. Embora não haja números definitivos, estima-se que 200.000 pessoas foram mortas como resultado das bombas atômicas lançadas sobre Hiroshima e Nagasaki.

Deixe um Comentário!