Notícias

Com a palavra, o desembargador Rogério Favreto

Com a palavra, o desembargador Rogério Favreto

Com a palavra, o desembargador Rogério Favreto

“Pra mim, esse tema específico não estava apreciado e ele (Lula), como preso, tem direitos políticos e tem o direito de se manifestar”.

Da Rádio Guaíba:


Em entrevista exclusiva à Rádio Guaíba, o responsável pela decisão de soltura do ex-presidente Lula, o desembargador do TRF-4 Rogério Favreto afirmou que o despacho feito na manhã deste domingo foi sobre um fato novo, “que era a condição de pré-candidato e o direito de Lula a se manifestar na pré-campanha, além de outras atividades que envolviam sua liberdade”.

O desembargador afirmou de imediato, quando não comenta decisões judiciais, mas que nesse caso, como envolve um fato grandioso, e que está enfrentando duras críticas por estarem afrontando sua decisão. “Eu fundamentei a decisão, eu apreciei sob um aspecto novo que me trouxeram, impedindo a liberdade de expressão de Lula. Pra mim, esse tema específico não estava apreciado e ele, como preso, tem direitos políticos e tem o direito de se manifestar. Além da liberdade de ir e vir”, afirma Favreto.

Sobre a decisão de soltura, o desembargador afirmou que o delegado, no início da tarde, havia dito que cumpriria a decisão, e que no final do dia, após ser reiterada a decisão, faltava apenas que o ex-presidente Lula fosse solto. “Neste momento, encerrei a minha contribuição e já comuniquei aos juízes de plantão de Curitiba e também que eles já estão de posse, com a autorização judicial, do habeas corpus. Mas tá parecendo que tem alguma má vontade do cumprimento, mas minha decisão foi feita fundamentadamente”.

O desembargador afirmou ainda, durante a entrevista, que tem sofrido ameaças e que o número de seu telefone foi divulgado indevidamente nas redes sociais. “As pessoas que estão fazendo isso, elas estão ameaçando à mim e à minha família, inclusive, por mensagem, e eu estou tomando as decisões cabíveis sobre o ocorrido”, completa.


Deixe um Comentário!