Notícias

STF arquiva inquérito de Onyx Lorenzoni, que admitiu ter recebido caixa dois

STF arquiva inquérito de Onyx Lorenzoni, que admitiu ter recebido caixa dois

STF arquiva inquérito de Onyx Lorenzoni, que admitiu ter recebido caixa dois

Fux atendeu a um pedido da Procuradoria-Geral da República e arquivou o inquérito que investigava o deputado federal Onyx Lorenzoni, acusado de receber R$ 175 mil via caixa 2 para sua campanha de 2006.

De acordo com matéria do Estadão, o ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal, atendeu a um pedido da Procuradoria-Geral da República e arquivou o inquérito que investigava o deputado federal Onyx Lorenzoni, acusado de receber R$ 175 mil via caixa 2 para sua campanha de 2006.

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, havia requerido o arquivamento do inquérito justificando que as diligências realizadas não foram suficientes para comprovar o suposto crime.

Em sua manifestação, Raquel escreveu que o executivo Alexandrino de Salles Ramos de Alencar, um dos delatores da Odebrecht, ‘não obstante afirmar a doação eleitoral não contabilizada ao deputado na campanha de 2006’, afirmou que não operacionalizou a entrega do valor, nem sabe declinar que o tenha feito, a forma, o local e a data da suposta doação.

“Dentro dessas premissas, não há prova, por ora, que tenha havido declaração falsa para fins eleitorais e se esgotaram os meios destinados elucidar os fatos”, escreveu Raquel.

Na planilha ‘Drousys’ – programa de controle dos desembolsos ilícitos do grupo -, o parlamentar é identificado pela alcunha ‘Inimigo’. Onyx Lorenzoni foi o relator na Câmara dos Deputados do mais importante projeto da história do Ministério Público Federal, o Dez Medidas de Combate à Corrupção, projeto que nasceu da Operação Lava Jato.

Em maio de 2017, o deputado admitiu ter recebido caixa dois. Em entrevista ao jornalista André Machado, da Rádio Bandeirantes de Porto Alegre, ele disse que o dinheiro foi doado por uma subsidiária da empresa no Rio Grande do Sul por meio de uma pessoa da confiança dele. O parlamentar gaúcho foi citado, na delação dos irmãos Joesley e Wesley Batista, como beneficiário de R$ 100 mil repassados pelo grupo.

O deputado pediu desculpas ao eleitorado gaúcho e disse que vai procurar o Ministério Público, na próxima semana, para relatar tudo o que ocorreu. “Quero pedir desculpas ao eleitor que confia em mim pelo erro cometido. Mas vou assumir lá na frente do Ministério Público e do juiz do caso. Vou reafirmar o que disse na entrevista à rádio porque, ao longo de 24 anos de vida pública, nunca mentir. Vou falar a verdade, mesmo que essa seja verdade seja dura contra mim”, afirmou.

Assista ao vídeo:

Deixe um Comentário!