Repercussão

Partido de Bolsonaro esbarra em falta de estrutura

Partido de Bolsonaro esbarra em falta de estrutura

Partido de Bolsonaro esbarra em falta de estrutura

A falta de estrutura do partido de Bolsonaro é o mais grave entrave para o PSL lançar candidaturas aos governos estaduais.

Do Globo:


Líder nas pesquisas de intenções de voto ao Planalto em cenários sem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o deputado federal Jair Bolsonaro, pré-candidato pelo PSL, deve enfrentar problemas para formar palanques e obter apoios políticos nos cinco maiores colégios eleitorais do país. Mesmo em São Paulo, onde se cogita possibilidade de candidatura ao governo, o projeto ainda é embrionário e alvo de polêmicas dentro da própria sigla.

Em Minas Gerais, Rio de Janeiro, Bahia e Rio Grande do Sul, o partido até estuda eventuais alianças, mas a orientação da executiva nacional é optar pela neutralidade para não correr riscos de atrapalhar o projeto de Bolsonaro para o Planalto. A despeito de enfrentar entraves com aliados, o pré-candidato aparece bem posicionado nas pesquisas. No último levantamento do Datafolha ele surge com 19%, seguido de Marina Silva (Rede) em segundo lugar com até 15%, de Ciro Gomes (PDT), que oscila entre 10% e 11% e Geraldo Alckmin (PSDB), que aparece com 7%.

A falta de estrutura do partido de Bolsonaro é o mais grave entrave para o PSL lançar candidaturas aos governos estaduais. Os diretórios locais do PSL começaram a se organizar apenas a partir de abril, com a entrada de Bolsonaro na sigla. Mas um dos maiores impeditivos para formação de palanques nesses estados é que a a executiva nacional já avisou: cada candidato terá que arcar com os custos de sua campanha.

Oficialmente, integrantes do PSL afirmam que o nome de Bolsonaro está tão consolidado nacionalmente que não precisaria das campanhas locais para seguir crescendo na preferência do eleitor. Para eles, os eventuais candidatos aos governos nos estados é que mais se beneficiariam com a força de Bolsonaro.

— Não vemos a necessidade do Jair (Bolsonaro) ter palanques em todos os estados. O voto dele é muito orgânico — diz o deputado federal Marcelo Álvaro Antônio, presidente do PSL mineiro.

Em Minas Gerais, segundo o parlamentar, o partido não terá candidato ao governo, mas aguarda as definições de outras siglas para decidir se apoiará algum nome. (…)


Deixe um Comentário!