Notícias

Parada LGBT lota ruas de São Paulo com gritos de ‘Fora Temer’

Parada LGBT lota ruas de São Paulo com gritos de ‘Fora Temer’

Parada LGBT lota ruas de São Paulo com gritos de ‘Fora Temer’

Monica Benício, viúva da vereadora do Rio de Janeiro Marielle Franco (Psol), assassinada em março, também se pronunciou: “Apesar de ter cara de festa, é um ato político. É resistência […]”.

Do JB:


A 22ª Parada do Orgulho LGBT de São Paulo ficou marcada por protestos contra o Congresso e o Palácio do Planalto. A apresentadora Tchaka abriu o evento com críticas aos parlamentares conservadores, que foram acompanhadas de gritos da plateia pedindo “Fora Temer”. Depois, Tchaka puxou o mesmo grito de protesto. Com o tema “Poder para LGBTI+: Nosso Voto, Nossa Voz”, a Parada busca conscientizar a comunidade sobre a importância do voto nas eleições deste ano.

Depois da abertura, vários políticos subiram ao palco. A apresentadora defendeu que o público vaiasse, mas enfatizou a importância de “apoiar os políticos que apoiam a causa”. Segundo Tchaka, todos os pré-candidatos chamados pela organização são identificados com o movimento. Os deputados federais Paulo Teixeira (PT), Ivan Valente (Psol), Orlando Silva (PCdoB) e a presidenciável Manuela D’Ávila (PCdoB) fizeram discursos rápidos defendendo a liberdade de gênero e de opção sexual, e criticaram o governo.

Monica Benício, viúva da vereadora do Rio de Janeiro Marielle Franco (Psol), assassinada em março, também se pronunciou: “Apesar de ter cara de festa, é um ato político. É resistência. Temos que vir para rua fazer festa, mas também para fazer revolução. Isso aqui é revolução. Por nenhuma Marielle a mais assassinada, por nenhum gay assassinado, por nenhuma lésbica assassinada e nenhuma trans assassinada.”


Deixe um Comentário!