Esportes

Neymar rompe contrato com a Globo em meio às críticas

Neymar rompe contrato com a Globo em meio às críticas

Neymar rompe contrato com a Globo em meio às críticas

O estopim foram as críticas, principalmente do narrador Galvão Bueno, após os dois primeiros jogos, que levaram até o pai do jogador a tentar colocar panos quentes.

Saiu na Folha:


Neymar se irrita com críticas, e Globo nega distinção entre jogadores

O atacante Neymar entrou em rota de colisão com a Globo em meio à disputa da Copa. O estopim foram as críticas, principalmente do narrador Galvão Bueno, após os dois primeiros jogos, que levaram até o pai do jogador a tentar colocar panos quentes.

A assessoria da Globo afirmou que “narradores e comentaristas têm liberdade para citar ou comentar qualquer lance do jogo”. Em nota, completou: “As análises, assim como toda a cobertura da Globo, são feitas de maneira imparcial e sem distinção entre os jogadores”. Procurado, Neymar não respondeu às perguntas da reportagem.

Não é a primeira vez que Neymar entra em conflito com o principal profissional da Globo durante a disputa de um torneio ​importante.

Em 2016, depois de dois empates na Olimpíada do Rio, o atleta se irritou com Galvão e parou de falar com a imprensa. Deu a volta por cima e levou o ouro, desabafando no fim: “Vocês vão ter que me engolir”, disse o jogador, após vencer a Alemanha nos pênaltis, no Maracanã, na final.

A posição é idêntica à adotada agora, na Rússia. Depois de fazer o segundo gol contra a Costa Rica, Neymar deixou a arena calado. “Hoje, não”, respondeu, ao receber pedido de entrevista no estádio.

Ao mesmo tempo, postou em rede social um desabafo, onde menciona que “falar, até papagaio fala”. O jogador é fã do piloto brasileiro Ayrton Senna, que se referia ao narrador Galvão Bueno como “papagaio” —eles mantinham relação de amizade.

Neste Mundial, o profissional da Globo disparou críticas ao camisa 10, assim como o comentarista Casagrande.

O ex-jogador Juninho Pernambucano entrou na polêmica. Ex-comentarista do Sportv, ele notou como Galvão não parava de falar de Neymar durante a partida.

“O cara passa o jogo criticando o Neymar, culpando até pelo pênalti sofrido. Agora quer elogiar. Galvão não para, é intocável. Faz todo mundo detonar o cara, depois do gol quer mudar. Isso sempre foi assim. Neymar é monstro e não é obrigado a arrebentar sempre”, disse Juninho, em uma rede social.

Ao longo da partida, Galvão criticou o que viu como um “gesto artístico” de Neymar durante pênalti que foi marcado pelo árbitro, mas acabou anulado com ajuda do vídeo.

Casagrande também falou sobre Neymar durante a partida. E o ex-jogador possui rixa antiga com o estafe do atual camisa 10. Há alguns meses, ele chamou Neymar de “mimado” e irritou o pai do jogador. “Abutre”, respondeu o empresário nas redes sociais.

Na época, Casagrande recebeu um recado de um superior da emissora: foi avisado que tinha respaldo para falar o que bem entendesse. Mas o “aviso” foi entendido internamente de forma contrária, como uma ameaça velada, já que ninguém antes havia dito ao ex-atacante nada parecido sobre seus comentários.

Em paralelo à rusga de Casagrande e Neymar pai, uma reaproximação com a emissora vinha sendo costurada. O principal contato do empresário com o jornalismo da Globo é um produtor com quem tem boa relação desde o começo da carreira do filho.

Em 2014, quando mantinha exclusividade com a emissora, em contrato revelado pela Folha no começo do ano, era esse produtor que Neymar pai mandava seus assessores procurarem para reclamar, ou sugerir, sobre pautas da TV Globo. Algumas vezes, o produtor avisava, inclusive, que não tinha patente para atender alguns desses pedidos.

O jogador e seus representantes viveram período conturbado com a Globo por mais de um ano, após a Olimpíada. Nesse meio tempo, foram diversas visitas ou iniciativas junto aos principais concorrentes da emissora, como Record, SBT e Fox. A proximidade da Copa fez o pai do jogador e a TV conseguirem uma trégua, e o camisa 10 voltou a ser figura assídua na tela. Desta vez, sem nenhum acordo formalizado no papel.

Desde então, Neymar participou de especiais de Copa da Globo, como do apresentador Luciano Huck e o Esporte Espetacular, além de entrevistas. A reaproximação foi vista internamente como uma vitória, mas teve um preço: Casagrande teve que se policiar sobre as críticas ao jogador.

Mas o clima de paz durou 180 minutos de futebol ruim de Neymar, que foi criticado pela imprensa nacional e se irritou. (…)


Deixe um Comentário!