Notícias

O encontro histórico entre Kim Jong Un e Donald Trump

O encontro histórico entre Kim Jong Um e Donald Trump

O encontro histórico entre Kim Jong Um e Donald Trump

Esta é a primeira vez que um chefe da Casa Branca se reúne com o número um do regime de Pyongyang. E, sobre a mesa, pousam questões delicadas para os dois lados que, enquanto inimigos históricos, começam a sinalizar um entendimento para o fim da tensão nuclear global.

Do Globo:


Após meses de grande expectativa e tensas negociações, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o líder supremo da Coreia do Norte, Kim Jong-un, se encontraram para uma cúpula histórica em Cingapura às 9h desta terça-feira no horário local (22h de segunda-feira em Brasília). Esta é a primeira vez que um chefe da Casa Branca se reúne com o número um do regime de Pyongyang. E, sobre a mesa, pousam questões delicadas para os dois lados que, enquanto inimigos históricos, começam a sinalizar um entendimento para o fim da tensão nuclear global, embora num caminho ainda longo e repleto de desafios diplomáticos.

Após um aperto de mão histórico, acompanhado pelo mundo inteiro, os dois líderes apareceram diante das câmeras conversando em tom amigável, com sorrisos, um segundo cumprimento e tapinhas nas costas. Em seguida, Trump sentou-se ao lado de um sorridente Kim na frente de repórteres e disse que estava confiante de que as negociações seriam um “tremendo sucesso”. Os dois mostravam-se cordiais, embora Kim estivesse menos efusivo do que no seu recente encontro com o presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in. Mais uma vez, os dois apertaram as mãos publicamente.

— Nós teremos uma tremenda relação. Eu não tenho dúvida — disse o presidente americano.

Por sua vez, Kim disse que Coreia do Norte e Estados Unidos superaram o obstáculo de uma história difícil a fim de realizar a cúpula:

— O caminho para chegar até aqui não foi fácil — Kim disse, sentando-se à mesa com Trump. — Os velhos preconceitos e práticas funcionaram como obstáculos no nosso caminho, mas superamos todos eles e estamos aqui hoje.

A primeira parte da reunião da cúpula incluiu um encontro apenas entre Trump e Kim, acompanhados dos seus tradutores, com o objetivo de estabelecer um laço de confiança entre os dois líderes — ao longo de meses, eles trocaram ofensas mútuas publicamente, além de fervorosas e aparentemente impetuosas ameaças em tom belicoso, o que gerou preocupações globais de uma possível guerra nuclear entre os dois lados. Em seguida, cerca de 40 minutos depois, os dois líderes reapareceram juntos e se dirigiram a uma mesa para um almoço de trabalho com os seus assessores, que trabalharam intensamente por semanas para possibilitar o encontro — que, em maio, chegou a ser cancelado por Trump numa carta endereçada a Kim.

(…)


Deixe um Comentário!