Política

Greve dos Petroleiros: 25 plataformas aderem à paralisação

Greve dos Petroleiros: 25 plataformas aderem à paralisação

Greve dos Petroleiros: 25 plataformas aderem à paralisação

A categoria petroleira já aprovou, para breve, a realização de uma greve por tempo indeterminado. Petroleiros e petroleiras pedem o fim da privatização da Petrobras, a redução dos preços do gás de cozinha e dos combustíveis e a demissão de Pedro Parente, entre outras reivindicações.

O Sindipetro-NF atualizou nesta tarde o quadro de adesão à Greve de 72 horas nas bases do Norte Fluminense. A parcial das 14h mostra que 25 plataformas estão no movimento, além de Cabiúnas e bases administrativas de Macaé — no Parque de Tubos houve, hoje manifestação.

Entre as 25 plataformas mobilizadas, 15 foram entregues em operação ao contingente mínimo da Petrobrás, outras sete fora entregues paradas (quatro em razão de manutenção e três em razão de a equipe de contingência não ter como operar). As demais três tiveram adesão por meio do não embarque dos grupos que estavam programados para hoje.

Saiba mais:

As plataformas que estão no movimento são as seguintes: PCE1, PPM1, PNA-2, PCH-1, PVM1, P-07, P-08, P-12, P-15, P-19, P-20, P-25, P-26, P-32, P-33, P-35, P-37, P-40, P-47, P-48, P-50, P-51, P-61, P-63 e P-65.

A Greve de 72 horas tem um caráter de advertência. A categoria petroleira já aprovou, para breve, a realização de uma Greve por tempo indeterminado. Petroleiros e petroleiras exigem a redução dos preços do gás de cozinha e dos combustíveis; a manutenção dos empregos e retomada da produção interna de combustíveis; o fim da importação da gasolina e outros derivados de petróleo; o fim da privatização e do desmonte do Sistema Petrobrás; e a demissão do Pedro Parente da Presidência da Petrobrás.

Fonte: Sindipetro NF

Deixe um Comentário!