Escavadeira

1989: O dia em que o Exército despejou Bolsonaro

1989: O dia em que o Exército despejou Bolsonaro

1989: O dia em que o Exército despejou Bolsonaro

No Jornal do Brasil do dia 5 de janeiro de 1989, a reportagem sobre o despejo de Bolsonaro, autorizado pelo Exército, mostra quem era o capitão. Eleito vereador, Bolsonaro atrasou mudança da Vila Militar e acabou sendo despejado por coronel do Exército.

Jair Bolsonaro foi obrigado a se retirar da casa onde morava com a esposa Rogéria em 1989, quando; já eleito vereador do Rio e estando na reserva remunerada, sofria as represálias entre os superiores por ter coordenado ataques contra o Exército.

O capitão chegou a planejar explosões em quartéis do Exército e outros locais do Rio de Janeiro, como na principal adutora de água da capital fluminense, para demonstrar insatisfação sobre índice de reajuste salarial do Exército.

Bolsonaro foi acusado de transgressão grave ao Regulamento Disciplinar do Exército (RDE). Ele dera entrevista e publicou artigo na revista Veja, em 1986, com comentários nada amigáveis ao governo federal.

Leia a seguir, matéria do Jornal do Brasil de 5 de janeiro de 1989:

1989: O dia em que o Exército despejou Bolsonaro

Reprodução: Jornal do Brasil | Acervo da Biblioteca Nacional

1 Comentário

  • Realmente é um demente. Folgado como é, teve de ser gravemente ameaçado para levantar a bunda e ir embora, já que tinha sido expulso do exército esse inútil, ai foi se encostar na Câmara Federal e nunca mais saiu de lá… Oh criatura vagabunda e inútil.

Deixe um Comentário!