Política

Le Monde faz críticas a Kim Kataguiri e MBL

Le Monde faz críticas a Kim Kataguiri e MBL

Le Monde faz críticas a Kim Kataguiri e MBL

O jornal francês Le Monde publicou nesta quinta-feira (19) uma matéria sobre Kim Kataguiri e MBL. De acordo com os franceses, Kataguiri é “o rosto juvenil da direita dura no Brasil” e o MBL “um dos principais vetores de ‘notícias falsas’”.

O jornal francês Le Monde, um dos mais influentes periódicos do mundo, publicou uma matéria em que traça o perfil de Kim Kataguiri e do Movimento Brasil Livre (MBL). Para os franceses, Kataguiri é a “encarnação de um jovem brasileiro disposto a flertar com as teses reacionárias”.

O Le Monde conta que, uma vez que Dilma foi deposta, o MBL assumiu uma posição mais discreta do que havia assumido até então quando pedia o impeachment da petista Dilma Rousseff. “Os escândalos de corrupção ainda atormentam parlamentares, ministros e até mesmo o chefe de Estado, Michel Temer, mas o movimento parece envergonhado de criticar a equipe agora liberal”.

O MBL tem assumido posições numa brigada moral de séculos atrás, fazendo coro a fundamentalistas religiosos, protestando contra a exposição “Queermuseu”, ressalta a matéria. A matéria cita Pablo Ortellado, professor de Gestão de Políticas Públicas da Universidade de São Paulo (USP), um especialista em MBL: “O MBL descobriu que a guerra cultural era uma excelente ferramenta de mobilização e que, através de um discurso punitivo contra feministas, negros, LGBTs, poderia atrair defensores da ordem moral para se unirem à sua causa”.

‘Vetor de fake news’

Para Le Monde, o assassinato da vereadora Marielle Franco mostrou o lado mais sombrio do MBL.Quando o país, chocado, chora a morte da ativista de esquerda, negra, lésbica, em guerra contra a violência policial, o MBL é identificado como um dos principais vetores de “notícias falsas”, transmitindo a milhares de seguidores no Facebook transformando Marielle Franco em ‘noiva de bandido’.

O MBL, que silenciou durante meses sobre os escândalos de corrupção contra Michel Temer acordou. Para o jornal francês, “neste mês de abril, Kim Kataguiri e seuss amigos se reconectaram com antigos amores: a luta contra a corrupção, o ódio do PT e Lula, gritando em seu palanque na Avenida Paulista: “Deus quer que Lula ir para a cadeia! O jovem, candidato às eleições gerais de outubro, está agora sonhando com outra plataforma no Congresso Nacional”.

E cita a advertência do sociólogo Rudá Ricci sobre Kataguiri: “Ele é uma pessoa perigosa”.

4 Comentários

Deixe um Comentário!