Blog do Mailson Ramos

Paraíso do Tuiuti: Luzes sobre a manipulação dos patos e paneleiros

Paraíso do Tuiuti: Luzes sobre a manipulação dos patos e paneleiros

Paraíso do Tuiuti: Luzes sobre a manipulação dos patos e paneleiros

O desfile da Paraíso do Tuiuti levou ao sambódromo no Rio de Janeiro uma realidade que vai doer cada vez mais: o brasileiro de classe média foi manipulado para derrubar um governo legítimo e colocar um postiço em seu lugar.

Em 2016, eles se apossaram da bandeira nacional e da camisa da seleção brasileira (comandada pela CBF, símbolo de corrupção no futebol) para derrubar o governo de Dilma Rousseff.

Convocados aos domingos pela TV Globo (com chamadas entre o Globo Rural e o Esporte Espetacular), a gente de bem povoou manifestações ‘contra a corrupção’ (do PT). Ao lado deles, embora não admitissem, estava Aécio Neves, aquele a quem Joesley Batista chama de “bandidão”.

A quadrilha de Michel Temer que ambicionava chegar ao poder estava toda lá, de camisas amarelas, posando em fotos ao lado de quem mais tarde silenciaria sobre a corrupção.

A mão gigante que manipula o paneleiros e os patos (manifantoches) no desfile da Paraíso de Tuiuti foi exibida no mundo inteiro. Foi exibida por esta mesma TV Globo que convocou as marchas ensandecidas pelo golpe.

Os seus narradores ficaram constrangidos.

Com todo o cuidado do mundo para não fazer as ligações cronológicas e consequenciais que o telespectador inteligente já fazia: patos e paneleiros / presidente vampiro / destruição dos direitos trabalhistas / a volta da escravidão.

Foi a desmoralização total de uma marcha de manipulados que lutava muito mais por interesses de classe do que por uma verdadeira guerra contra a corrupção.

Leia também:

A guerra deles era contra o PT, o comunismo, a bandeira vermelha, o bolivarianismo e outras tantas idiotices plantadas por fake news e espelhadas nas redes com um poder de disseminação incomum.

Nota dez para o GRES Paraíso do Tuiuti pela coragem e expor não somente a situação atual do país, mas também os fatos que nos levaram ao aprofundamento da crise.

É muito bom ver que o carnaval continua sendo uma ferramenta conscientização social – além de entretenimento.  O Brasil não sairá desta crise sem fazer uma análise verdadeira e conjuntural do que foi o golpe de 2016.

Enquanto continuar negando, os mesmos fantasmas de 1964 nos assustarão. A crise institucional não cederá. E a democracia nunca amadurecerá. Viva a Paraíso do Tuiuti e que esteja no desfile das campeãs, mostrando de novo esta realidade nua e crua.

Deixe um Comentário!