Globo pede a demissão de Segóvia

Globo pede a demissão de Segóvia

Globo pede a demissão de Segóvia

O jornal O Globo publicou duríssimo editorial em que pede a demissão do diretor-geral da Polícia Federal, Fernando Segóvia, por suas declarações favoráveis a Michel Temer.

O jornal O Globo publicou um duro editorial nesta quinta-feira pedindo a cabeça do diretor-geral da PF, Fernando Segóvia, que falou em entrevista abertamente sobre proteger Michel Temer na investigação do esquema do emedebista no porto de Santos.

O título do editorial já mostra a que veio: “Diretor-geral da PF não tem credibilidade”.

O texto enumera as razões que, para a família Marinho, fazem com que Segóvia mereça ser rifado do cargo.

“Segovia assumiu sob desconfianças, reforçadas por declarações desastrosas. Uma, esta sobre quantas malas de dinheiro configurariam um ato de corrupção. Outras vieram na entrevista que concedeu à agência de notícias Reuters, descredenciando o inquérito da própria PF que investiga a participação de Temer no favorecimento em negócios no Porto de Santos, e o delegado responsável por ele, Cleyber Malta Lopes. O resultado é que o diretor-geral da PF pulverizou sua credibilidade.

Fez todo sentido, diante da gravidade do caso, que o ministro do Supremo Luís Roberto Barroso, responsável pelo inquérito que investiga a ligação de Temer, e seu já conhecido ex-braço-direito Rodrigo Loures, com a Rodrimar, que explora terminais em Santos, convocasse Segovia, no sábado de carnaval, para prestar esclarecimentos. No entender de Barroso, Segovia, que irá ao ministro na segunda-feira, pode ter cometido infração administrativa e penal.

(…)

É possível que os esclarecimentos a serem prestados na segunda decidam o destino de Segovia. Sua permanência à frente da PF, porém, se tornou bastante difícil, caso a preocupação do governo seja tratar a instituição como um organismo de Estado e não subordinado ao grupo que está no poder.

Declarações desastrosas sobre inquérito que envolve Temer reforçam o mal-estar em torno de Fernando Segovia e o inabilitam ao cargo.”

Fonte: Brasil 247

Deixe um Comentário!