Blog do Mailson Ramos

Lula condenado: O golpe em segunda instância

Lula condenado: O golpe em segunda instância

Lula condenado: O golpe em segunda instância

Os desembargadores do TRF-4 proferiram votos políticos; não eram juízes imparciais a discutir uma sentença de condenação sem provas. Lula estava há muito tempo condenado.

Às 10h da manhã, a BandNews já exibia a seguinte legenda:  “Caso Triplex: Lula é condenado por unanimidade pelos desembargadores do TRF-4 de Porto Alegre”. Isso mostra como a mídia estava preparada para dar a boa nova da manutenção da condenação de Lula.

Tão descarada foi a parcialidade dos desembargadores do TRF-4 que um deles, Victor Laus disse que Lula “perdeu o rumo” no exercício do mandato, que não enxergou limites para o poder e tampouco respeitou a dimensão do cargo, além de ter tomado conhecimento de corrupção na Petrobras e nada ter feito.

Às 17h50m, por unanimidade, os três desembargadores da 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) votaram em favor de manter a condenação e ampliar a pena de prisão do Presidente Lula.

Os desembargadores confirmaram a característica política – e não jurídica – da análise do recurso de Lula contra a condenação proferida por Sérgio Moro. O golpe final se confirma.

Deu a lógica do golpe, de acordo com o timing da Lava Jato.

A história jamais guardará os nomes dos três desembargadores do TRF-4, senão como algozes da democracia e partícipes de uma farsa grotesca. Pela dissimulação e participação no golpe terão os seus nomes lembrados sim nas galerias dos tribunais da República da Toga, esta instituição ilegítima que se apossou do Brasil.

Não resta à esquerda senão – e como sempre – lutar.

Deixe um Comentário!