Notícias

Eleições de 2018 terão novas regras. Confira

Eleições de 2018 terão novas regras. Confira

Eleições de 2018 terão novas regras. Confira – Foto: Nelson Jr./ ASICS/TSE

As Eleições de 2018 são discutidas há muito tempo pelo Congresso e no TSE. Confira as novas regras sobre o processo eleitoral e sobre a votação.

Quando (período em que ocorrerá o processo)

7.out – primeiro turno

28.out – segundo turno

Cargos em disputa

Presidente da República

Governadores

Senadores (dois terços das cadeiras)

Deputados federais e deputados estaduais (distritais, no caso do DF)

Calendário

Março

Mês liberado para troca de partido

7.abr

Prazo final para candidatos se filiarem a partidos e para ocupantes de cargos executivos (presidente, governadores e prefeitos), caso queiram concorrer a outros postos, renunciarem a seus mandatos.

18.jun

TSE divulga o total de recursos disponível no fundo público para financiar as campanhas

20.jul a 5.ago

Partidos realizam convenções para oficializar candidatos e coligações

15.ago

Último dia para pedir o registro de candidaturas

16.ago

Começa a propaganda eleitoral

31.ago a 4.out

Propaganda eleitoral gratuita no rádio e na TV no primeiro turno

12 a 26.out

Propaganda eleitoral gratuita no rádio e na TV no segundo turno.

Novas regras

CLÁUSULA DE DESEMPENHO

Como era: Não existia

Como será: Cada partido precisará ter ao menos 1,5% dos votos válidos nacionais a deputado federal para ter acesso ao fundo partidário e a tempo gratuito no rádio e na TV.

FINANCIAMENTO

Como era: Empresas ficaram proibidas de doar a candidatos em 2016. Partidos dependeram de doações de pessoas físicas e de verbas do fundo partidário.

Como será: Criou-se um fundo público eleitoral de cerca de R$ 2 bilhões para bancar as campanhas. Além disso, pessoas físicas poderão doar até 10% de seus rendimentos do ano anterior.

PROPAGANDA NA INTERNET

Como era: Proibida a propaganda paga na internet.

Como será: É permitido o chamado “impulsionamento de conteúdo”, que é pagar para que as postagens nas redes sociais alcancem um público maior.

ARRECADAÇÃO DE DINHEIRO DE CAMPANHA

Como era: Só permitida após o registro da candidatura na Justiça Eleitoral, em agosto.

Como será: Arrecadação prévia pode começar em 15 de maio, na modalidade de financiamento coletivo. Recursos, porém, só serão liberados após registro da candidatura.

TETO DE GASTOS

Como era: Em 2014, campanhas definiram seu teto. A vencedora, Dilma Rousseff, declarou gasto de R$ 384 milhões, em valores atualizados para março de 2017.

Como será: Para presidente: R$ 70 milhões. Governador: até R$ 21 milhões. Senador: até R$ 5,6 milhões. Deputado federal: R$ 2,5 milhões. Deputado estadual: R$ 1 milhão.

VOTO IMPRESSO

Como era: Não havia. O voto ficava registrado somente na urna eletrônica

Como será: Por imposição do Congresso, haverá impressão do voto. Mas apenas em algumas urnas, pois o TSE afirma não ter recursos para implantar a medida em todas as zonas eleitorais.

DEBATES ELEITORAIS NA TV

Como era: Emissoras são obrigadas a convidar candidatos de partidos com mais de 9 deputados.

Como será: Emissoras são obrigadas a convidar candidatos de partidos com no mínimo 5 parlamentares (deputados e senadores).

Fonte: Folha de S.Paulo

Deixe um Comentário!