Mundo

Contra reforma, argentinos enfrentam até a polícia

Contra reforma, argentinos enfrentam até a polícia

Contra reforma, argentinos enfrentam até a polícia

A votação da reforma previsional (Previdência) ocorreria na semana passada, porém foi suspensa devido a protestos contrários à sua aplicação.

Do Operamundi:


A central sindical Confederação Geral do Trabalho (CGT) da Argentina convocou uma greve de transportes para esta segunda-feira (18/12) em Buenos Aires. A paralisação começou às 12h do país (13h de Brasília) e tem como objetivo se posicionar contra a reforma da previdência proposta pelo presidente argentino, Mauricio Macri.

Em pronunciamento, o diretor sindical Juan Carlos Schmid afirmou que “a mal chamada reforma da previdência não é mais do que uma redução dos salários dos aposentados” e destacou que “se pela lei não se vota, a greve se levanta”. A CGT ainda declarou que a paralisação durará 24h, mas garantiu o transporte de passageiros urbanos até a meia noite desta segunda-feira.

Metrô e trens de Buenos Aires devem se juntar à paralisação a partir desta terça-feira (19/12). Há relatos de cancelamentos de voos nos aeroportos da capital argentina por conta da greve.

Schmid ainda citou a votação da reforma que acontece nesta segunda-feira na Câmara dos Deputados da Argentina, lembrando que “por mais que seja votado pelo Congresso, a reforma tem uma raiz ilegítima”. O sindicalista também afirmou que para a CGT deveria ser convocado um referendo como uma maneira de solucionar o conflito. A votação da reforma ocorreria na semana passada, porém foi suspensa devido a protestos contrários à sua aplicação.

(…)


Deixe um Comentário!