Notícias

Paulo Henrique Amorim vence ação contra Gilmar Mendes

Com o feroz e péssimo hábito de processar jornalistas, o ministro do STF, Gilmar Mendes, perdeu ação contra Paulo Henrique Amorim.

Com o feroz e péssimo hábito de processar jornalistas, o ministro do STF, Gilmar Mendes, perdeu ação contra Paulo Henrique Amorim.

Com o feroz e péssimo hábito de processar jornalistas, o ministro do STF, Gilmar Mendes, perdeu ação contra Paulo Henrique Amorim.

Do site Conversa Afiada:


Em 27/05/2016 o Conversa Afiada publicou esse post: Convocação nas redes: focar no Gilmar!

O post e, mais do que ele, a charge magnífica do Bessinha deram origem a uma furiosa ação judicial do Ministro Gilmar Mendes, que, aliás, tem o hábito de processar jornalistas na Justiça.

(Hábito de processar e perder. Veja na aba “Não me calarão” e contemple essa obra bernínica “Galeria de Honra Daniel Dantas” sobre os que processam o ansioso blogueiro, que, como se sabe, adota o princípio de vida “diz-me quem te processa e dir-te-ei quem és”.)

Não é a primeira vez que a Justissa se manifesta indignada com o humor implacável do Bessinha.

Também o inesquecível Procurador Geral Roberto Gurgel vituperou contra o Bessinha, mas não chegou às vias de fato, quer dizer, a uma ação judicial…

O ansioso blogueiro e o Bessinha, sob a batuta da Dra. Fernanda Massad, aplicaram uma exemplar surra no Ministro Gilmar Mendes.

Outras, de maior magnitude, ainda estão por vir…

Note-se que a destemida Juíza Indiara Arruda de Almeida Serra cita histórica decisão – também na aba “não me calarão” – do Ministro decano Celso de Mello, proferida numa vitória do ansioso blogueiro contra o notório ínclito banqueiro.

Eis a conclusão da sentença, também irretocável, em defesa da liberdade de expressão:

Diante do exposto, decidindo o processo com resolução de mérito, nos termos do art. 487, inciso I, do Código de Processo Civil, JULGO IMPROCEDENTE o pedido inicial.

Em razão da sucumbência, condeno o autor ao pagamento das despesas processuais e dos honorários advocatícios no percentual de 10% (dez por cento) sobre o valor atualizado da causa, nos termos do artigo 85, § 2º, do Código de Processo Civil.

Com o trânsito em julgado, sem requerimento de cumprimento da sentença, dê-se baixa e arquivem-se os autos.

Sentença registrada eletronicamente nesta data.
Publique-se. Intimem-se.

Brasília/DF, 6 de dezembro de 2017.

Indiara Arruda de Almeida Serra
Juíza de Direito Substituta


1 Comentário

Deixe um Comentário!