Nossa Política

Editorial | IstoÉ elege Moro “o brasileiro do ano” de 2017

IstoÉ elege Moro “o brasileiro do ano” de 2017
Editorial | IstoÉ elege Moro “o brasileiro do ano” de 2017
Destaca-se na capa o juiz federal Sérgio Moro e o ministro da Fazenda do governo Temer, Henrique Meirelles; mais ao fundo tem-se ACM Neto e Luciano Huck.

A panfletária IstoÉ, revista que publicou artigo cujo principal teor era a morte de Lula, lançou edição em que apresenta “os brasileiros do ano” de 2017. A expressão está entre aspas porque nem todos os brasileiros ali são dignos de tal honraria.

Destaca-se na capa o juiz federal Sérgio Moro e o ministro da Fazenda do governo Temer, Henrique Meirelles; mais ao fundo tem-se ACM Neto e Luciano Huck. Como um site político, Nossa Política se exime de comentar sobre os outros; mas estes quatro citados a principio passam longe de serem brasileiros do ano.

Sérgio Moro deve estar sendo premiado pelas perseguições que promove e pela destruição da Lava Jato; a construção civil e a indústria naval estão no fundo do poço. Ao punir as empresas e romper os contratos (em vez de só punir os envolvidos na corrupção) a Lava Jato colocou de joelhos milhões de trabalhadores que nada tinham a ver com os processos e suborno e propina ora desvendados em Curitiba.

A Lava Jato foi propulsora do golpe e da ascensão de Michel Temer ao poder; Temer nomeou Henrique Meirelles para capitanear os esforços pelas reformas que nada reformam: retiram direitos apenas. Meirelles apareceu como candidato à presidência em 2018 e procura angariar apoio junto a Temer e Rodrigo Maia. Tudo farinha do mesmo saco. Mas lá está o Meirelles na capa da IstoÉ, possivelmente como o homem que conseguiu um feito inédito: aquecer a economia com um PIB de 0,1%.

Outra figura estampada na capa da IstoÉ é Luciano Huck, aquele apresentador da TV Globo que apareceu nas pesquisas do Estadão com 60% das intenções de votos para 2018 num dia, e no outro dia caiu fora. Huck é um dos responsáveis pela construção de um fundo cívico para eleger deputados em 2018. E pelo que lutarão estes deputados assim que eleitos? Não pense o amigo navegante que é para ampliar o Bolsa Família!

ACM Neto, o prefeito do marketing, das festas e das praças bonitas (em detrimento daquela que é a pior saúde básica do estado da Bahia) também achou o seu lugar ao sol. Nacionalmente esquecido, porque a sua guerra é local, ACM Neto pensa em disputar com o petista Rui Costa o governo do estado. Não aparece nesta capa senão por ser do DEM, filho de uma das mais badaladas oligarquias deste país e ser um prefeito “festeiro”. Como amiguinho do Temer, queria usurpar a obra do Metrô de Salvador construída pelo governo do estado.

Agora, no final deste humilde artigo, Nossa Política sugere a IstoÉ a escolha de brasileiros de verdade que nos encheram de orgulho neste ano que se finda: como a professora Heley de Abreu, que teve 90% do corpo carbonizado enquanto tentava salvar as crianças de incêndio provocado pelo vigilante Damião Soares dos Santos, em creche, na cidade mineira de Janaúba.

Brasileiríssima Heley de Abreu.

Escreva um comentário

ÚLTIMAS NOTÍCIAS