Notícias

Morre Moniz Bandeira, pioneiro no estudo das Relações Institucionais

Morreu Moniz Bandeira, pioneiro no estudo das Relações Institucionais

Morre Moniz Bandeira, pioneiro no estudo das Relações Institucionais

No momento em que as instituições brasileiras só funcionam no discurso de quem detém o poder nas mãos, falta a intelectualidade Moniz Bandeira.

Morreu nesta sexta-feira 10, em Heidelberg, na Alemanha, o historiador e cientista político Luiz Alberto de Vianna Moniz Bandeira, um dos mais notáveis intelectuais brasileiros e um pioneiro no estudo das Relações Internacionais.

Moniz Bandeira tinha problemas cardíacos e estava internado desde outubro. Ele morreu por volta das 14h na cidade alemã de Heidelberg, onde se encontrava radicado e era cônsul honorário do Brasil. Ele deixa a mulher Margot Elisabeth Bender, de nacionalidade alemã, e o filho, Egas.

Moniz Bandeira é Professor Emérito da Universidade Federal da Bahia (UFBA).

Dentre as suas obras destacam-se:

• 2016 – A Desordem Mundial. O Espectro da Total Dominação. Rio de Janeiro, Editora Civilização Brasileira, 644 pp.

• 2013 – A Segunda Guerra Fria. Geopolítica e Dimensão Estratégica dos Estados Unidos. Rio de Janeiro, Editora Civilização Brasileira, 714 pp.

• 2009 – Poética. Rio de Janeiro, Editora Record, 144 pp.

• 2005 – Formação do Império Americano (Da guerra contra a Espanha à guerra no Iraque). Rio de Janeiro, Editora Civilização Brasileira, 854 pp. Obra traduzida e publicada na China e na Argentina.

• 2004 – As Relações Perigosas: Brasil-Estados Unidos (De Collor de Melo a Lula). Rio de Janeiro, Editora Civilização Brasileira, 417 pp.

• 2003 – Brasil, Argentina e Estados Unidos (Da Tríplice Aliança ao Mercosul). Rio de Janeiro, Editora Civilização Brasileira, 920 pp. Obra traduzida e publicada na Argentina.

• 2000 – O Feudo – A Casa da Torre de Garcia d’Ávila: da conquista dos sertões à independência do Brasil. Rio de Janeiro, Editora Civilização Brasileira, 601 pp.

• 1999 – Brasil – Estados Unidos no Contexto da Globalização, vol. II (2ª. revista, aumentada e atualizada de Brasil-Estados Unidos: A Rivalidade Emergente. São Paulo, Editora SENAC, 224 pp.

• 1998 – De Martí a Fidel – A Revolução Cubana e a América Latina. Rio de Janeiro, Editora Civilização Brasileira, 687 pp.

• ______ Brasil – Estados Unidos no Contexto da Globalização, vol. I (Terceira edição revista de Presença dos Estados Unidos no Brasil – Dois Século de História e Brasil. São Paulo, Editora SENAC, 391 pp.

• 1995 – Brasil e Alemanha: A Construção do Futuro. Brasília, Instituto de Pesquisa de Relações Internacionais / Fundação Alexandre de Gusmão, 697 pp.

• 1994 – O “Milagre Alemão” e o Desenvolvimento do Brasil – As Relações da Alemanha com o Brasil e a América Latina (1949-1994). São Paulo, Editora Ensaio, 246 pp. Obra traduzida para o alemão: Das Deustche Wirtschaftswunder und die Brasilien Entwicklung, Frankfurt, Vervuert Verlag, 1995.

• 1993 – Estado Nacional e Política Internacional na América Latina – O Continente nas Relações Argentina – Brasil. São Paulo, Editora Ensaio, 304 pp; 2ª. ed., 1995, 336 pp. 1995.

• 1992 – A Reunificação da Alemanha – Do Ideal Socialista ao Socialismo Real – São Paulo, Editora Ensaio, 182 pp. 2ª. ed. revista, aumentada e atualizada, 2001, Editora Global/Editora da Universidade de Brasília, 256 pp.

• 1989 – Brasil – Estados Unidos : A Rivalidade Emergente – 1955-1980 – Rio de Janeiro, Editora Civilização Brasileira, 328 pp; 2ª. ed., São Paulo, Editora SENAC, 1999, 224 pp.

• 1987 – O Eixo Argentina-Brasil (O Processo de Integração da América Latina) – Brasília, Editora da Universidade de Brasília, 118 pp.

• 1985 – O Expansionismo Brasileiro (A Formação dos Estados na Bacia do Prata – Argentina, Uruguai e Paraguai – Da Colonização ao Império) – Rio de Janeiro, Editora Philobiblion, 291 pp. – 2ª . ed., 1995, Editora Ensaio /Editora da Universidade de Brasília, São Paulo, 246 pp. 3ª ed., 1998, Editora Revan/Editora da Universidade de Brasília, Rio de Janeiro, 254.pp.

• _____ Trabalhismo e Socialismo no Brasil – A Internacional Socialista e a América Latina – São Paulo, Editora Global, 56 pp;

• 1979 – Brizola e o Trabalhismo – Rio de Janeiro, Editora Civilização Brasileira, 1ª e 2ª edições, 204 pp.

• _____ A Renúncia de Jânio Quadros e a Crise Pré-64 – São Paulo, Editora Brasiliense, 180 pp.

• 1975 – Cartéis e Desnacionalização (A Experiência Brasileira – 1964-1974) – Rio de Janeiro, Editora Civilização Brasileira, 207 pp.; 2ª ,1975; 3ª ed., 1979

• 1977 O Governo João Goulart – As Lutas Sociais no Brasil (1961-1964) – Rio de Janeiro, Editora Civilização Brasileira, 186 pp.; 2ª ed. dezembro de 1977, 3ª, 4ª e 5ª edições 1978; 6ª ed. 1983; 7ª ed. revista e aumentada, 320 pp. 2001.

• 1973 – Presença dos Estados Unidos no Brasil (Dois Séculos de História) – Rio de Janeiro, Editora Civilização Brasileira, 470 pp. 2ª ed., 1979; 3ª ed. São Paulo, Editora SENAC 1998, 391 pp.

• 1967 – O Ano Vermelho – A Revolução Russa e seus Reflexos no Brasil – Rio de Janeiro, Editora Civilização Brasileira, 418 pp.; 2ª ed., Editora Brasiliense, 1980.

Com informações da CartaCapital e Portal Vermelho.

Deixe um Comentário!